Levi Guerra pinta “Os Lusíadas”

Com uma carreira distinta ligada à Medicina, Levi Guerra notabiliza-se também como pintor e poeta. (Foto: DR)

Médico, investigador, professor universitário, poeta e artista plástico. Levi Guerra, Professor Catedrático Jubilado da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, é um homem de múltiplos ofícios que, aos 87 anos de idade, decidiu homenagear o seu antigo professor primário com uma combinação das suas expressões artísticas prediletas: a pintura e a literatura.

Homenageando o mestre a quem ficou “a dever a alegria de ser português revendo-me nos nossos antepassados heróicos, gente de coragem inaudita na descoberta de novos mundos”, Levi Guerra criou dez pinturas que representam os dez cantos que compõem a obra maior da poesia portuguesa, “Os Lusíadas”, de Luís Vaz de Camões.

A exposição é uma coleção de 10 quadro que retratam os 10 cantos da obra maior de Camões. Na foto: “Canto I”, de Levi Guerra.

É esta coleção de obras que constitui a exposição “Os Lusíadas na Figuração de Levi Guerra”, que ficará patente na Sala de Exposições da Reitoria da Universidade do Porto de 8 a 29 de março, com entrada livre de segunda a sexta-feira, das 10 às 13 horas e das 14 às 18 horas.

A inauguração oficial da exposição acontecerá um dia antes, às 17h30 de 7 de março, numa sessão que arrancará com a interpretação pelo Coro Clássico da Associação de Antigos Orfeonistas da U.Porto (AAOUP) de “Proposição d’Os Lusíadas”.

Após as boas-vindas pelo Reitor da Universidade do Porto, Sebastião Feyo de Azevedo, seguir-se-ão a conferência “Um certo concerto das Artes” por José Carlos Seabra Pereira, docente da Universidade de Coimbra e coordenador científico do CIEC – Centro Interuniversitário de Estudos Camonianos, e as intervenções de Francisco Laranjo, pintor e professor da FBAUP, e do próprio autor, Levi Guerra, intituladas “A epopeia de um destino” e “Das causas aos efeitos”, respetivamente.

São também estas eminentes figuras das Letras e das Artes que assinam os textos que acompanham o catálogo desta mostra temática em que cada um dos quadros de acrílico sobre tela de 130×100 expostos contém a figuração dos temas essenciais de cada um dos dez cantos de “Os Lusíadas”.

“Os Lusíadas na Figuração de Levi Guerra” estará patente na Reitoria da U.Porto de 8 a 29 de março. Na foto: “Canto VIII”, de Levi Guerra.

A sessão de inauguração não termina sem uma nova atuação do Coro Clássico da AAOUP –  agora com uma interpretação de “Scherzo”, de “O Barbeiro de Sevilha” de Rossini –, antes de uma visita à exposição guiada pelo próprio autor, Levi Guerra.

Levi Eugénio Ribeiro Guerra nasceu em Águeda a 19 de setembro de 1930. Licenciou-se em Medicina no ano de 1955. Foi docente da FMUP entre 1957 e 2001, tendo dirigido os serviços de Biologia Médica (1969/1972) e Nefrologia (1993/2000), assim como o departamento de Medicina (1998/2000).

Reformado como Diretor de Serviço do Hospital de S. João, foi o fundador e Diretor dos Serviços de Nefrologia do Hospital de Santo António e do Hospital de S. João, “fellow” do American College of Physicians, membro honorário da Academia Brasileira de Medicina, da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna e da Sociedade Portuguesa de Nefrologia. Uma carreira médica e académica que lhe valeu várias distinções, incluindo o Prémio Nacional de Saúde 2013 do Ministério da Saúde, a Medalha de Ouro da Ordem dos Médicos, em 2016, ou a Medalha de Ouro da Cidade do Porto, nesse mesmo ano.

Enquanto artista plástico e autor, foi objeto de 27 exposições individuais de pintura e tem dois livros de poesia publicados.