LABIOMEP quer melhorar os tempos da natação

Determinação da melhor ténica de partida resulta do estudo individualizado das técnicas de cada nadador.

Na natação, uma fração de segundo pode significar um apuramento para os Jogos Olímpicos com direito a recorde mundial ou, por outro lado, uma eliminação que pode colocar em causa vários anos de trabalho. É com esta premissa em mente que investigadores da Universidade do Porto, ligados ao Laboratório de Biomecânica do Porto (LABIOMEP), desenvolveram um sistema no bloco de partida de natação que permite obter informação exata sobre as melhores técnicas de partida a aplicar pelos nadadores.

Para recolher os dados necessários à otimização da performance dos nadadores, este sistema inovador recorre às sete plataformas de força que o constituem. Entre elas contam-se “duas plataformas colocadas na parte da frente do bloco; uma plataforma na back plate; duas laterais, ligadas a um complexo sistema de apoios de mãos; e duas plataformas dentro de água, na parede da piscina”, explica João Paulo Vilas-Boas, coordenador do LABIOMEP e professor da Faculdade de Desporto da U.Porto (FADEUP), em entrevista ao Ciência 2.0.

Toda a informação obtida e sintetizada nesta central dinamométrica, nome técnico do sistema, pode ajudar assim os treinadores a determinar a técnica mais adequada para a partida. A escolha da técnica de partida por parte do atleta é, desta forma, mais fácil de fazer pois “permite conhecer a causa das coisas, e estudar as técnicas de cada nadador individualmente”, complementa João Paulo Vilas-Boas. Para além disso, permitirá estudar outros tipos de partida como as partidas dorsais.

Este estudo vem no seguimento do trabalho desenvolvido há vários anos pelo Laboratório de Biomecânica da U.Porto no estudo do movimento de atletas para a melhoria da performance desportiva.