KIMERAA reúne Empreendedores, Empresas e Comunidade Científica no Fórum do Mar 2014

rsz_img_0276Realizou-se no passado dia 28 de Maio no Fórum do Mar (Exponor, Matosinhos), uma sessão A2B (Academia to Business) dedicada ao Mar. O evento procurou funcionar como um elo entre a comunidade científica e a empresarial, e a participação de organizações, empresas e investigadores permitiu a partilha de conhecimentos em investigação, empreendedorismo e inovação no domínio da economia do Mar. Este evento foi organizado pelo projeto europeu KIMERAA, que se encontra em fase final de implementação.

A importância da colaboração entre os diferentes atores envolvidos na economia do Mar para uma efetiva transferência de conhecimento e tecnologia, e também para o sucesso das regiões envolvidas foi palavra de ordem para as cerca de 30 pessoas (entre investigadores, empreendedores e empresas) presentes nesta A2B. A troca de ideias foi animada entre todos os que quiseram expor competências, projetos, desafios e dificuldades encontradas quando se trata da economia do Mar.

Dada a diversidade de temas e abordagens no que toca a esta temática, o evento foi organizado em torno de três painéis, dedicados a temas diferentes. O primeiro, dedicado à exploração de atividades relacionadas com a Biotecnologia, contou com a presença e intervenção de dois centros de investigação de referência na Região Norte: Laboratório de Engenharia de Processos, Ambiente, Biotecnologia e Energia (LEPABE) da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), e Centro Indisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR). Ambas as unidades apresentaram trabalhos e projetos que têm vindo a desenvolver nas respetivas linhas de investigação. No caso do LEPABE realizou-se um “pitch” na área dos biofilmes e no caso do CIIMAR a intervenção incidiu mais na investigação na área da biorremediação de contaminantes nas zonas costeiras e estuarinas. Além dos investigadores, este painel contou também com a participação de um representante da empresa Bluemater, sedeada no UPTEC, cuja atividade principal reside no tratamento de águas potáveis e residuais, para a qual desenvolve e comercializa sistemas inovadores, e também da empresa MARINNOVA, uma jovem empresa focada no fornecimento de serviços e produtos na área das ciências marinhas e ambientais, tendo por base o conhecimento científico adquirido e desenvolvido durante vários anos no CIIMAR.

Já o segundo painel, dedicado aos veículos autónomos, contou com a intervenção de investigadores do Departamento de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores da FEUP, mais especificamente do Laboratório de Sistemas e Tecnologias Subaquáticas, que apresentaram atividades e projetos em torno de veículos aéreos não tripulados (UAVs) e veículos autónomos subaquáticos (AUVs). As empresas presentes neste painel foram a Abyssal, especialista em sistemas operativos para veículos operados remotamente, e a Critical Software, que apresentou o projeto “Oversee Search and Rescue”, desenvolvido em colaboração com a Marinha Portuguesa.

Para fechar a sessão, o terceiro painel debruçou-se sobre questões relacionadas com as infraestruturas portuárias e de defesa e proteção costeira, com intervenções de diversos representantes do Laboratório de Hidráulica do Departamento de Engenharia Civil da FEUP. Nesta troca de ideias participaram também representantes da APDL – Porto de Leixões, apresentando projetos de grande envergadura que se encontram em curso, nomeadamente o reforço da interoperabilidade nas redes de serviços logísticos. Uma empresa italiana, a Technital, também fez parte deste último painel da sessão A2B, expondo algumas das suas necessidades de I&D e lançando o desafio à comunidade científica presente para resposta à complexidade de projetos marítimos de grande envergadura.

Indo de encontro ao principal objetivo destas sessões A2B, houve ainda tempo para networking e estabelecimento de contactos, para fomentar possíveis futuras colaborações. Esta foi uma das últimas atividades do projeto KIMERAA que, após ter visto aprovada uma fase adicional de implementação, irá terminar no final de 2014. Durante a sessão, os participantes puderam assistir ainda a uma breve apresentação deste projeto, seus objetivos e atividades. O KIMERAA durou quatro anos e envolveu cinco países (incluindo Portugal) que trabalharam em conjunto para procurar soluções para dinamizar o cluster do Mar.