José Milhazes vem à FEUP liderar viagem pelas ‘Memórias da Rússia’

José Milhazes fará uma análise do processo de transformação da União Soviética/Rússia nos anos 70, 80 e 90. (Foto: Jornal de Negócios)

Preparado para uma viagem no tempo e no espaço, mais precisamente até à Rússia dos anos 70, 80 e 90? É precisamente o que vai acontecer na próxima edição do Clube de Leitura da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), no próximo dia 16 de maio, a partir das 12h45, na Sala de Atos da faculdade.

Promovida pela Biblioteca da FEUP, a iniciativa vai contar com a presença do jornalista, historiador e tradutor José Milhazes, figura incontornável nos meios de comunicação portugueses, que fará uma análise do processo de transformação do quadro geopolítico, económico e social da União Soviética/Rússia, que o próprio acompanhou de perto durante os 38 anos que viveu em Moscovo. A presença do jornalista nos meios de comunicação portugueses, como a TSF, o jornal Público ou a SIC, revela um analista atento e informado sobre as alterações políticas na Rússia desde o período de transição que se seguiu ao fim da União Soviética até aos dias de hoje.

Fruto do seu perfil multidisciplinar, a dimensão cultural e literária do pensamento russo não será esquecida durante a sessão, tendo por base a mais recente obra de José Milhazes dedicada aos grandes autores do pensamento geopolítico e filosófico daquele país.

A sessão conta com a moderação pelo Diretor da FEUP, João Falcão e Cunha, e é de entrada livre e gratuita.

Mais informações através do e-mail agora@fe.up.pt.

Sobre José Milhazes

José Milhazes nasceu na Póvoa de Varzim onde terminou os estudos secundários no Liceu Eça de Queirós. Em 1977 partiu para a União Soviética, onde concluiu o curso de ‘História da Rússia’ na Universidade Estatal de Moscovo em 1983. Foi na URSS que ficou a residir, constituindo família e dedicando-se à tradução de obras literárias, políticas e de filmes de ficção de russo para português.

Em 1989, escreveu a primeira crónica para a TSF e, com o lançamento do Jornal Público, tornou-se correspondente de Portugal em Moscovo. Em 2002, começou a colaborar com a estação televisiva SIC.

A paixão pela História leva-o a realizar trabalhos de investigação nos arquivos soviéticos para o Instituto de Ciências Sociais da Universidade Clássica de Lisboa e Fundação Mário Soares, aprofundando o estudo dos laços entre o Partido Comunista Português e o Partido Comunista da União Soviética.

Em 2008, defende a tese de doutoramento  “Influência das ideias liberais espanholas e portuguesas na Rússia” na Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP), trabalho académico aprovado por unanimidade.

Conheça as sugestões de leitura que se encontram à sua espera no escaparate do Piso 0 da Biblioteca.