José Luís Borges Coelho é o próximo Honoris Causa da U.Porto

O maestro José Luís Borges Coelho, fundador do Coral de Letras da Universidade do Porto e autor de uma notável obra de estudo e divulgação da música portuguesa, vai juntar-se no próximo dia 3 de julho à restrita galeria dos Doutores Honoris Causa da Universidade do Porto.

Na base da proposta de atribuição do título honorífico está o “incansável trabalho, de excecional qualidade” desenvolvido por José Luís Borges Coelho na direção do Coral de Letras, “que fundou, divulgando e promovendo a Universidade do Porto a nível nacional e internacional, há mais de 50 anos”. O documento homologado pelo Reitor da U.Porto, Sebastião Feyo de Azevedo, refere-se ainda ao homenageado como “uma personalidade eminente, a quem foi atribuída a medalha de mérito, grau de ouro, da Câmara Municipal do Porto”.

A música, a história, o ensino e a participação cívica cruzam-se no percurso do próximo Honoris Causa da U.Porto. Natural de Murça, onde nasceu em 1940,  concluiu o Curso Superior de Canto do Conservatório de Música do Porto. Em 1968, licenciou-se em História pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Professor em diversas instituições dedicadas ao ensino especializado da música e do teatro, foi presidente do Conselho Diretivo do Liceu Alexandre Herculano (Porto) e do Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga, assim como diretor pedagógico da Academia de Música de Viana do Castelo e da Cooperativa de Ensino Superior Artístico Árvore (Porto). Presidiu também ao Conselho Científico da ESMAE — Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto.

Licenciado em História pela FLUP, dirige o Coral de Letras desde a sua fundação, em 1966. (Fotos: Casa da Música)

Em paralelo, desenvolveu uma intensa atividade artística, reconhecida em Portugal e além-fronteiras. Para além do Coral de Letras, que dirige desde a sua fundação, em 1966, dirigiu o Coro Misto Sacro de S. Tarcísio, o Orfeão Universitário do Porto, o Coro do Círculo Portuense de Ópera (1983-1994) e o Ensemble Clepsidra. Orientou ateliês de música de autores portugueses e criou música original para vários espetáculos do Teatro Experimental do Porto e da Seiva Trupe, tendo ainda colaborado em diversos filmes de Manoel de Oliveira.

Maestro de méritos reconhecidos, José Luís Borges Coelho destaca-se ainda pelo trabalho que vem desenvolvendo no estudo da música portuguesa e, em particular, da música coral de Fernando Lopes Graça. Colaborou também na edição, pela Casa da Música, de Aquela Nuvem e Outras, de Fernando Lopes Graça e Eugénio de Andrade, com ilustrações de Rogério Ribeiro.

Ao perfil de José Luís Borges Coelho não pode faltar, por fim, uma referência à sua intensa atividade sindical, política (militante do PCP, foi membro fundador do Sindicato dos Professores da Zona Norte e da Associação dos Profissionais do Ensino da Música) e cívica. Membro dos Conselhos Gerais da Culturporto, da Fundação para o Desenvolvimento Social do Porto, do Instituto Politécnico do Porto e do Conservatório de Música do Porto e da Cooperativa Árvore, integrou o Conselho de Administração da Sociedade Porto 2001 e da Fundação Casa da Música (2006-2013).

Entre as distinções que acumulou ao longo da carreira incluem-se o Galardão de Mérito Associativo, pela Associação das Coletividades do Concelho do Porto, e a Medalha de Mérito, Grau Ouro, atribuída pela Câmara Municipal do Porto.

A cerimónia de atribuição do título de Doutor Honoris Causa a José Luís Borges Coelho tem início às 11h00, no Salão Nobre do edifício da Reitoria da U.Porto, e será presidida pelo Reitor da Universidade do Porto, Sebastião Feyo de Azevedo. A sessão contará ainda com as intervenções de Paulo Vaz de Carvalho, guitarrista e professor do Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro, que proferirá o elogio ao doutorando, e de José Paiva, diretor da Faculdade de Belas Artes da U.Porto (FBAUP) e padrinho do futuro Honoris Causa.

José Luís Borges Coelho será o 94.º Doutor Honoris Causa da Universidade do Porto em 106 anos de história da instituição.

  • E C

    Mestre absoluto.
    Parabéns à Universidade do Porto pela suma clareza desta decisão.
    Eurico Carrapatoso, compositor
    27.6.2017