Investigadores do CIIMAR recebem bolsas de mobilidade

O trabalho dos investigadores incidirá sobre as algas. Imagem: João Franco

O trabalho dos investigadores incidirá sobre diferentes particularidades  das algas. Imagem: João Franco

Iván Franco Rodil e João Franco, investigadores do CIIMAR (Centro Interdisciplinar de investigação Marinha e Ambiental da Universidade do Porto), ganharam uma bolsa de mobilidade na Universidade de Vigo ao abrigo do Programa IACOBUS.

Durante um mês Iván Franco Rodil irá trabalhar no departamento de Ecologia e Biologia Animal na Universidade de Vigo para estudar os Efeitos Ecológicos associados à decomposição de Algas enterradas em praias expostas, também conhecidas pelo nome de “wrack”. A decomposição de algas liberta nutrientes aumentando o crescimento de algas bentónicas, mas estimula o crescimento de bactérias e modifica a concentração de CO2 no sedimento. Estas contribuições afetam a macrofauna das praias, alterando o funcionamento do ecossistema e a rede trófica costeira.

As consequências ecológicas da mudança destes recursos detríticos são ainda desconhecidas, mas a crescente presença de espécies invasoras acumuladas nas praias pode afetar o normal funcionamento do ecossistema da praia. Este estudo poderá assim ajudar a compreender o papel ecológico das wrack como fonte de alimento-chave para os ecossistemas de praia e os efeitos do aumento do número de algas em ambientes marinhos.

João Franco frequentará durante dois meses o laboratório ECIMAT – Estación de Ciencias Marinas de Toralla (também na Universidade de Vigo) onde caracterizará as Florestas de Algas Marinhas no NW da Península Ibérica. “Os povoamentos de “kelps” – grandes algas castanhas (e.g. Laminariales) são comuns em recifes de regiões temperadas, onde fornecem alimento e abrigo a numerosos organismos, incluindo espécies com elevado valor económico (por exemplo: diversas espécies de peixes, como os sargos e os robalos). Como resultado das alterações globais do clima são esperados aumentos da temperatura oceânicas e da frequência e intensidade das tempestades pelo que o funcionamento futuro dos ecossistemas dos recifes depende do modo como as interações entre o aumento das temperaturas e diversas perturbações afetarão o desempenho de espécies “fundadoras”, tais como as de “kelps””, revela o investigador.

Neste estudo, englobado no seu doutoramento, o investigador procurará determinar de que modo o clima oceânico influencia a Macroeologia (abundância e padrões de distribuição) de algas kelps e da ictiofauna associada, ao longo da costa portuguesa e galega, e a resiliência das mesmas algas a perturbações de origem natural e de origem antropogénica. Os resultados esperados deste projeto poderão ser úteis para as entidades responsáveis pela gestão da pesca, dado que obterão uma ferramenta preditiva sobre a relação entre os padrões de abundância dos peixes e a estrutura dos seus habitats.

O IACOBUS é um programa de cooperação cultural, científica e pedagógica entre as Universidades e outras instituições de Ensino Superior da Euroregião Galicia-Norte de Portugale tem como objetivo principal fomentar a cooperação e o intercâmbio entre os recursos humanos destas instituições visando o desenvolvimento conjunto de atividades formativas, de investigação e de divulgação.