Investigadores da U.Porto estudam método para produzir combustível menos poluente

O novo método vai permitir reduzir os níveis de poluição e de gastos de energia.

Um grupo de investigadores da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP), membros do do REQUIMTE – Rede de Química e Tecnologia, está a desenvolver um novo método, economicamente mais viável e mais sustentável, para produzir combustível com baixo teor de enxofre e, assim, menos poluente e com menos consumo de energia.

A ideia passa por oxidar os componentes de enxofre presente nos combustíveis sob baixar temperaturas e pressões, para depois remover através de processos de extração. Na fase de oxidação, são utilizados agentes oxidantes amigos do ambiente. Na etapa de extração, são usados solventes não tóxicos, de baixo custo e considerados “verdes”, como a água, etanol ou uma mistura de ambos.

As regulamentações quanto ao teor de enxofre permitido nos combustíveis têm-se tornado cada vez mais restritas. Os gases poluentes de dióxio de enxofre são os principais esponsáveis pelo ácido sulfúrico presente na atmosfera, que tem causado um dos maiores problemas ambientais: a chuva ácida. Atualmente, o método utilizado pelas indústrias de refinação para remover os compostos de enxofre nos combustíveis é altamente dispendioso e pouco sustentável, perante as normas europeias ao nível da temperatura e quantidades de hidrogénio.

Depois do período de financiamento pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), o projeto é agora financiado pelo REQUIMTE, com o apoio da Galp Energia. A par da U.Porto, participam profissionais do Laboratório Associado CICECO da Universidade de Aveiro e o Laboratório Assosiado de Catálise e Materiais da Faculdade de Engenharia (FEUP), bem como do Institute of Catalysis and Petrochemistry, de Madrid.