Investigadores da U.Porto descobrem genes responsáveis pela cor da pele e dos olhos

Investigadores nacionais pertencem aos centros de investigação CIBIO e IPATIMUP

Investigadores da Universidade do Porto lideraram uma equipa internacional que descobriu novos genes que explicam a diversidade da cor da pele e dos olhos na população africana e europeia, depois de estudar a população de Cabo Verde . A investigação constitui um grande contributo para a investigação genética.

A investigação desenvolvida por esta equipa, que contou com investigadores do CIBIO – Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (Universidade do Porto) e do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (IPATIMUP), foi tema de capa da edição de março da PLoS Genetics.

Em declarações ao Expresso, Nuno Ferrand (diretor do CIBIO) afirma que o estudo representa “um excepcional avanço na compreensão do determinismo genético da cor da pele e da cor dos olhos, talvez as mais relevantes características fenotípicas da espécie humana”.

Este estudo concluiu que existem muitos mais genes que influenciam a cor da pele do que a comunidade científica previa e “desfaz as relações históricas ou temporais existentes entre a cor dos olhos e a cor da pele” já que atribui uma importância muito maior às relações biológicas e químicas, como afirma ao Expresso Jorge Rocha, investigador do CIBIO que coordenou o estudo.

Para além dos investigadores do CIBIO e do IPATIMUP, este estudo contou com a colaboração de várias instituições internacionais, tais como a Universidade de Cabo Verde, Universidade de Stanford (EUA), Hudson Alpha Institute for Biotechnology (EUA), Gregor Mendel Institute (Áustria) e Universidade do Estado da Pensilvânia (EUA).