Investigadores da FMUP dominam prémios na área da Ortodontia

Roberto Fernandes, FMUP

Roberto Fernandes recebeu o 1º prémio para Melhor Comunicação Oral. (Foto: DR)

Ivone Lima, FMUP

Ivone Lima recebeu o 2º prémio para Melhor Comunicação Oral. (Foto: DR)

Andreia Fonseca, FMUP

Andreia Fonseca recebeu o 1º prémio para Melhor Poster. (Foto: DR)

Inês Coutinho, FMUP

Inês Coutinho recebeu o 2º prémio para Melhor Poster. (Foto: DR)

Quatro investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), integrados nas formações pós-graduadas em Ortodontia, foram distinguidos durante o XXIII Congresso da Sociedade Portuguesa de Ortodontia, que decorreu em Peniche entre os dias 29 de setembro e 1 de outubro.

O docente Roberto Fernandes e a estudante Ivone Lima foram galardoados com o 1.º e 2.º prémios para Melhor Comunicação Oral, pela apresentação dos trabalhos intitulados “Brackets autoligáveis e filosofia bioprogressiva de Ricketts: sinergias no tratamento de um caso clínico de classe II divisão 2” e “Assimetria facial: a importância da complementaridade dos dados de diagnóstico”, respetivamente.

O trabalho de Roberto Fernandes refere-se a um caso clínico no qual se descreve o tratamento de uma má-oclusão de classe II, o tipo de má-oclusão mais prevalente na população e por isso mais tratada ortodonticamente. O estudo demonstra a “possibilidade de sinergia entre as mecânicas ditas convencionais e os brackets autoligáveis com torques diferenciados de modo a facilitar a correção da má-oclusão classe II divisão 2”. Já a apresentação de Ivone Lima corresponde a uma revisão bibliográfica da qual se deduziu a necessidade de utilizar recursos radiográficos, fotográficos e clínicos, em simultâneo, para “diminuir a margem de erro no diagnóstico da assimetria facial”.

Andreia Fonseca e Inês Coutinho, também da FMUP, venceram o 1.º e 2.º Prémios para o Melhor Poster, subordinados aos temas “Tratamento de Classe II Divisão 1 em duas fases: Bionator + Aparelho Fixo” e “Tratamento das Fraturas do Côndilo Mandibular em Idade Pediátrica”.

O poster apresentado por Andreia Fonseca descreve o caso clínico de uma paciente de 8 anos portadora de má oclusão Classe II divisão 1 com sobremordida horizontal aumentada.A associação de aparelhos funcional e fixo permitiu o tratamento sem necessidade de extrações, não indicadas de acordo com o perfil facial, para obtenção de Classe I”.  Já o poster de Inês Coutinho assenta numa revisão bibliográfica relativa ao tratamento das fraturas mandibulares – o tipo de fraturas maxilofaciais mais frequentes em crianças.

José Manuel Amarante, diretor dos cursos de pós-graduação na área de Ortodontia da FMUP, congratula-se pelos resultados obtidos por estes estudantes e recorda que “já é tradição que os investigadores de Ortodontia desta Faculdade se destaquem neste congresso”.