Investigadores da FCUP criam sistema que “vê” através dos veículos

Sistema pioneiro é uma espécie de espelho “retrovisor” que permite ver a estrada à frente de um veículo de grande porte.

Comunicar com outro condutor na estrada sempre foi possível através das luzes de travagem, dos piscas ou de uma  buzinadela num dia de trânsito mais intenso. Mas imagine-se um sistema de comunicação que, recorrendo a tecnologias de vanguarda, permite ao condutor “ver” através de outros veículos, facilitando por exemplo a realização de ultrapassagens a um camiãode grande porte . Essa é apenas uma das vantagens do See-Through, um sistema inovador que está a ser desenvolvido por  Michel Ferreira, docente do Departamento de Ciência de Computadores da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP), e pela sua equipa de investigação do Instituto de Telecomunicações (IT).

Na prática, o See-Through é algo semelhante a um espelho “retrovisor”, mas que permite ver a estrada à frente de um camião ou autocarro que siga à nossa frente. O objetivo dos investigadores passa por otimizar a comunicação entre veículos ou entre os veículos e a “estrada” e, consequentemente, promover uma maior segurança rodoviária e informações sobre condições de tráfego.

“Imagine que estou atrás de um grande camião que não me permite ver através dele, tornando difícil e desconfortável a avaliação, por exemplo, de uma ultrapassagem, mas esse camião tem uma câmara de pára-brisas orientada para a frente. Eu consigo, através do sistema de comunicação entre veículos que desenvolvemos, ir buscar a imagem dessa câmara no pára-brisas do camião e transmitir essa visão ao condutor que vem atrás”, concretiza Michel Ferreira.

Para desenvolver esta ideia, a equipa de investigação baseou-se num sistema de “realidade aumentada em ambiente de condução automóvel suportada por comunicação sem-fios veículo-a-veículo”. O resultado é, segundo o investigador, uma tecnologia inovadora que mostra que “é possível fazer a transmissão vídeo entre veículos com um atraso quase insignificante (200 milissegundos), que não afeta em termos de segurança a manobra de ultrapassagem”.

Produzida no âmbito do projeto DRIVE-IN (integrado no Programa Carnegie Mellon Portugal e financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia) esta novidade na investigação foi apresentada pela primeira vez em outubro, no International Symposium on Mixed and Augmented Reality (ISMAR), uma das principais conferências científicas em termos de realidade aumentada a nível mundial. O artigo “Augmented Reality Driving Supported by Vehicular Ad Hoc Networking” e a demonstração(ver vídeo) teve um forte impacto, tendo sido publicado nas revistas New Scientist e Smithsonian Magazine.

Para além de Michel Ferreira, na qualidade de coordenador, integram a equipa Pedro Emanuel Gomes, estudante de doutoramento em Informática e os investigadores Fausto Vieira e Michelle Silvéria.