Investigadoras da U.Porto exploram as raízes do mercado financeiro

O estudo analisou 8725 letras de câmbio do homem de negócios Simón Ruiz.

Simón Ruiz é um dos principais protagonistas daquele que se pode tomar como o “primeiro mercado global de transações”. Foi com base na história deste homem de negócios espanhol que um grupo de investigadores da da área da história, física e ciência computacional se juntaram para investigar semelhanças entre a antiga rede de negócios e o atual mercado global financeiro. A investigação, na qual participam duas autoras da Faculdade de Letras da U.Porto – Amélia Polónia e Ana Sofia Ribeiro – acaba de ser publicada na revista Royal Society Open Science.

Realizado pela primeira vez em Portugal, este estudo multidisciplinar compara a época de Símon Ruiz com os padrões estruturais de funcionamento das atuais  redes financeiras.  Num universo de cerca de 21 mil letras de câmbio de Simón Ruiz, foram selecionadas, da base de dados constituída,  8725 que viriam a ser analisadas, a partir da conjugação entre o exame minucioso de historiadores, e as mais recentes técnicas computacionais e métodos de análise matemática. Estes documentos continham informação sobre as transações em dinheiro com pessoas identificadas e correspondem a diferentes períodos cronológicos, nomeadamente os de crises financeiras do século XVI.

Os investigadores concluíram que, mesmo passados 500 anos, existem padrões que se mantêm constantes, assentes num circuito baseado em três componentes: o doador, o beneficiário e os intermediários. Outros mecanismos utilizados atualmente, como os critérios de escolha de parceiros e a distribuição do risco, foram identificados nessa época.

O artigo faz parte da investigação histórica desenvolvida no âmbito do projeto DynCoopNet , financiado pela European Science Foundation, no qual participaram também as investigadoras da FLUP, Amélia Polónia, atual Coordenadora Científica do CITCEM  (Centro de Investigação Transdisciplinar Cultura, Espaço e Memória) e coordenadora científica da equipa portuguesa desse projeto, e Ana Sofia Ribeiro, investigadora do CIDHEUS e do CITCEM. Da  equipa responsável por esta abordagem metodológica, coordenada por Jorge Manuel Pacheco, investigador do Centro de Biologia Molecular e do Departamento de Matemática e Aplicações da Universidade do Minho, fazem parte Flávio L. Pinheiro, ATP-group e  MIT Media Lab, Massachusetts Institute of Technology e  Francisco C. Santos, ATP-group, INESC-ID e Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa.