i3S testa terapia inovadora para a Doença Inflamatória Intestinal

Um novo tratamento para doentes com Doença Inflamatória Intestinal (Colite Ulcerosa e Doença de Crohn) vai ser testado pela primeira vez em ensaios clínicos em Portugal com o apoio de uma fundação Americana, a Crohn´s & Colitis Foundation of America – CCFA, através do seu Programa de Investigação Médica (BMRP). O projeto é liderado por Salomé Pinho, investigadora do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S) da Universidade do Porto e vai ser desenvolvido no Centro Hospitalar do Porto/Hospital de Santo António em colaboração com outros hospitais nacionais, como o Hospital de S. João, também no Porto.

A investigação coordenada por Salomé Pinho visa testar em ensaios clínicos (denominados ensaios clínicos da iniciativa do investigador, randomizados e controlados) um agente inovador, de origem natural, não tóxico, de baixo custo e com propriedades imuno-moduladoras testadas experimentalmente em modelos pré-clínicos (animais) que revelam eficácia no controlo da inflamação intestinal e na supressão da progressão e severidade da doença. Numa primeira fase o estudo será nacional, mas perspetiva-se ser alargado a outros hospitais europeus.

«Com este ensaio clinico pretendemos avaliar o efeito terapêutico do novo agente em doentes com Colite Ulcerosa avaliando o seu efeito no controlo da doença e na redução da necessidade de terapias mais agressivas, cirurgias e internamentos», explica Salomé Pinho, que tem dedicado grande parte da sua investigação ao estudo da Doença Inflamatória Intestinal.

A Crohn´s & Colitis Foundation of America – CCFA, que pela primeira vez financia um projeto em Portugal, é uma organização voluntária, sem fins lucrativos e dedicada à descoberta de curas para doenças inflamatórias intestinais. A missão da CCFA é curar a doença de Crohn e a colite ulcerosa e melhorar a qualidade de vida de crianças e adultos que sofrem dessas doenças. A Fundação trabalha para cumprir a sua missão financiando investigação; fornecendo recursos educacionais para pacientes e suas famílias, profissionais médicos e público; e prestação de serviços de apoio para aqueles que sofrem das doenças.

A Doença Inflamatória Intestinal (Colite Ulcerosa e Doença de Crohn) afeta cerca de 2,5 milhões de pessoas na Europa. Em Portugal, estima-se que cerca de 15 mil indivíduos sofram desta doença crónica e altamente debilitante. É uma doença que afeta sobretudo indivíduos jovens e, não existindo uma causa conhecida, não há forma de ser prevenida. Trata-se de uma doença que permanece incurável, apresentando um risco associado de evoluir para cancro do intestino. Existe uma necessidade urgente na prática clinica de conseguir impedir as crises inflamatórias destes doentes, garantindo um controlo sustentado da doença e prevenindo futuras recaídas.

Sobre Salomé Pinho

Licenciada em Medicina Veterinária pelo Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) da Universidade do Porto, cedo sentiu um fascínio particular pelo conhecimento e pela investigação. No final da licenciatura, optou por um estágio combinado que foi decisivo no percurso que mais tarde viria a seguir: um estágio em Barcelona num Hospital Veterinário, que se traduziu numa experiencia muito enriquecedora, e depois no Ipatimup. A decisão foi clara e Salomé Pinho acabou por enveredar pela área da investigação seguindo para um doutoramento no Ipatimup na área da Oncobiologia com uma passagem por Boston, na Boston Medical School. Massachusetts, USA. Fez depois um Pós-Doutoramento na área da Oncobiologia e da Inflamação.

Atualmente é Investigadora Principal do i3S onde lidera uma equipa de investigação cuja principal missão é usar uma abordagem multidisciplinar realizando investigação fundamental, bem como validação pré-clínica e clinica de estratégias terapêuticas racionais para a inflamação (em particular a Doença Inflamatória Intestinal onde se inclui a doença de Crohn e a Colite Ulcerosa) e para o cancro. Recentemente foi distinguida pela ECCO – European Crohn’s and Colitis Organisation com um prémio de 40 mil euros para a realização de  ensaios pré-clínicos com o objetivo de encontrar uma nova estratégia terapêutica para a Doença Inflamatória Intestinal (DII).

  • Joao Coutinho

    Datas, contactos para este estudo?
    obrigado

  • DICE

    Para quem sofre de doença de Crohn ou colite ulcerosa, recomendo a leitura do livro Como Romper o Círculo Vicioso do seu Intestino, de Elaine Gottschall. Recomendo também que a pessoa faça a dieta sem grãos e outros alimentos descrita no livro. Em pouco tempo as dores vão passar e a inflamação intestinal também. Embora os especialistas falem que a dieta não tem nada a ver com a doença, a verdade é que ela tem tudo a ver.

  • João Renato Mariano

    Boa tarde. Existe alguma parceria com Instituições brasileiras?