Investigadora docente da FEUP preside Associação Internacional de Educação em Engenharia

Teresa Restivo (FEUP)

Teresa Restivo sucede a Michael Auer na liderança da IGIP. (Foto: DR)

Teresa Restivo, investigadora e docente do departamento de Engenharia Mecânica da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), é a nova presidente da International Society for Engineering Pedagogy (IGIP), orgão de referência a nível internacional no domínio da Educação em Engenharia.

Durante o mandato, que terá a duração de um ano, a investigadora docente da FEUP propõe-se trabalhar sobretudo na criação de ferramentas que promovam a cooperação entre todos os membros do IGIP. “A tarefa não se avizinha fácil”, de acordo com Teresa Restivo, dada “a extensão da cobertura internacional dos membros da Sociedade” e a qualidade do trabalho do seu antecessor na liderança da associação, Michael Auer.

Ciente dos enormes desafios que uma organização desta natureza terá de enfrentar para se poder afirmar como uma importante ferramenta na discussão de tudo o que tenha a ver com as temáticas do ensino de engenharia no contexto exigente que se coloca com o enfraquecimento sofrido pela “STEM Workforce” na Europa nas últimas décadas e os desafios presentes da Indústria 4.0, Teresa Restivo assume que é “essencial criar a consciencialização de que a missão da docência é a essência, por definição, de uma escola e, neste caso de uma escola de engenharia. E que o desenvolvimento da FEUP necessariamente alicerçado na investigação se baseia na qualidade dos seus docentes e, assim, na qualidade dos jovens que consegue formar como os profissionais do futuro que a Europa necessita”.

A nova presidente da IGIP admite que há um longo caminho a percorrer, sobretudo porque há aspetos importantes em que é preciso um organismo ativo e interventivo de uma maneira muito particular (através da qualificação internacional ING-PAED IGIP) na formação dos educadores de engenharia, cada vez mais exigente pelo facto de se debaterem com alterações muito dinâmicas do perfil dos estudantes e também impostas pelos desafios da tecnologia: “é importante contribuir para a análise da falta de vocação dos jovens para áreas da engenharia, das deficiências no ensino de matérias fundamentais ao longo do percurso do estudante até à Universidade, do abandono escolar significativo nos primeiros anos do ensino superior, das exigências de compatibilização da formação dos jovens com as tendências do mercado, nomeadamente acompanhando o progresso tecnológico imparável, do efeito do desemprego na perspetiva com que os jovens olham o futuro”.

No programa de ação de Teresa Restivo está também a vontade de aproveitar a vasta rede internacional do IGIP e com isso influenciar a esfera de influência da própria FEUP: “Vou empenhar-me em contribuir para levar o nome da FEUP a muitos pontos do mundo”, ressalva a investigadora docente.

De acordo com a docente, os nomes da FEUP e da Universidade do Porto estiveram, aliás, em grande destaque durante a Conferência anual do IGIP este ano. Por um lado, pelo facto de ser um elemento da comunidade FEUP eleito Presidente da IGIP, e por outro, pelo facto do prémio IGIP-SPEED Young Scientists Award ter sido atribuído a um alumnus da FEUP,  atual bolseiro de investigação INEGI, Rafael Tavares, e ainda a distinção atribuída pela qualidade da colaboração da docente Diana Urbano. Destaque ainda para a Menção Honrosa de Organização Internacional IELA – “Online experimentation@FEUP for all”, a que a FEUP se havia candidatado (num projeto que envolve representação da maioria das áreas da FEUP), e que foi anunciada durante a sessão de atribuição de prémios IGIP, no passado dia 23 de setembro, em Belfast, UK.

Sobre a IGIP

A International Society for Engineering Pedagogy tem como principal missão contribuir para o desenvolvimento profissional dos educadores de engenharia, sendo única na atribuição internacional da qualificação ING-PAED IGIP a conceder a todos os docentes que, nos centros acreditados pela Sociedade, completem o Curriculum de formação estabelecido.

Entre outros objetivos procura ainda incentivar a integração de línguas e humanidades na educação em engenharia, divulgar a utilização de tecnologias emergentes no ensino de engenharia, promover a formação em gestão para engenheiros, incentivar a consciência ambiental e ainda apoiar o desenvolvimento da educação em engenharia nos países em desenvolvimento. Para suportar todos estes objetivos apoia ou organiza eventos regulares e coordena ou colabora na edição regular de periódicos.

Olhando especialmente os jovens procura contribuir para os incentivar através da atribuição do “IGIP-SPEED Young Scientists Award”, cuja candidatura é aberta todos os anos em simultâneo com as submissões à sua Conferência Anual, que se realiza tradicionalmente na 3ª semana de setembro.

Mais informação aqui.