Investigadora do i3S na direção da Sociedade Europeia de Genética Humana

Carla Oliveira é Professora Associada de Biopatologia na FMUP e lidera o grupo «Expression Regulation in Cancer» do i3S. (Foto: i3S)

Carla Oliveira, investigadora e líder do grupo «Expression Regulation in Cancer» do Instituto de Investigação e Inovação da Universidade do Porto (i3S), passou recentemente a integrar a Comissão Executiva da Sociedade Europeia de Genética Humana (ESHG), tendo sido eleita como Secretária Geral adjunta com um mandato de quatro anos.

A ESHG é uma organização internacional sem fins lucrativos, cuja missão passa por promover a investigação básica e aplicada no domínio da genética humana e médica, dentro do contexto europeu. Para a investigadora portuguesa, que trabalha há mais de 20 anos na área da Genética Humana, integrar os órgãos de direção da ESHG representa por isso um “grande privilégio”.

«Aceitei este desafio porque confio nesta Sociedade e nas pessoas que a lideram e também porque representa uma oportunidade única de participar num mundo que está em mudança e em que as palavras «Genética» e «DNA» surgem associadas a todas as áreas, desde a agricultura à inteligência artificial. O meu sonho é fazer parte de um futuro onde o conhecimento e a tecnologia ajudam a prevenir doenças genéticas», explica.

Licenciada em Bioquímica pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, Carla Oliveira concluiu, em 2002, o Programa Doutoral em Biologia Básica e Aplicada (GABBA) da U.Porto, no âmbito do qual passou pela Faculdade de Medicina da U.Porto (FMUP), pelo Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da U.Porto (Ipatimup) e pela Universidade de Cambridge (Reino Unido). Seguiu-se o pós-doutoramento, cuja primeira parte ez no Ipatimup e, a segunda, em Vancouver, no Canadá. Voltou para o Ipatimup e, em 2011, formou o seu próprio grupo de investigação, que entretanto passou a integrar o i3S. Em 2013 constituiu a empresa «Bioinformática Bioinf2Bio». É também Professora Associada de Biopatologia na FMUP e responsável pelo teste genético de síndromes associadas ao cancro gástrico na Unidade de Diagnósticos do Ipatimup.

Com toda uma carreira científica dedicada ao estudo do cancro gástrico hereditário difuso (HDGC), Carla Oliveira é a representante portuguesa do Porto.Comprehensive Cancer Center (i3S e IPO-Porto, associados ao Centro Hospitalar São João) na Rede Europeia de Referência (ERN) GENTURIS, e lidera, dentro deste consórcio, um projeto de HDGC no âmbito do Projeto Solving Rare Diseases (Solve-RD), que foi financiado pela Comissão Europeia, através do Horizonte 2020, com 250 mil euros.