Investigadora da U.Porto ajuda a resolver mistério da astrofísica

A descoberta de uma galáxia sem matéria escura foi anunciada em 2018, num artigo publicado na revista Nature. (Foto: DR)

Um grupo de investigadores, no qual se incluiu a investigadora Mercedes Filho, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) e do Centro de Astrofísica e Gravitação (CENTRA), resolveu um dos grandes mistérios de 2018 na área de astrofísica extra-galáctica: a suposta existência de uma galáxia sem matéria escura.

A existência de galáxias sem matéria escura é impossível de compreender no contexto da teoria de formação de galáxias, porque a função da matéria escura é fundamental no colapso do gás para formar estrelas. Em 2018, um artigo publicado na Nature anunciava a descoberta de uma galáxia sem matéria escura.

Agora, de acordo com um artigo publicado no Monthly Notices of the Royal Astronomical Society (MNRAS), uma equipa de investigadores resolveu este mistério através de um conjunto completo de observações da galáxia, anteriormente apelidada de “galáxia sem matéria escura”. Neste estudo, os investigadores, “perplexos” – porque todos os parâmetros dependentes da distância à galáxia era anómalos -, reavaliaram os indicadores de distância disponíveis. Utilizando cinco métodos independentes para estimar a distância à galáxia, descobriram que todos os métodos convergiram para uma única conclusão: a galáxia está mais próxima do que a distância apresentada no estudo anterior, publicado na Nature.

O artigo original indicava que a distância à galáxia era cerca de 64 000 000 de anos luz da Terra. Este novo estudo coloca a galáxia a uma distância menor, cerca de 42 000 000 de anos luz.
Com a nova distância, os parâmetros “anómalos” inicialmente inferidos pela distância maior, agora tornaram-se parâmetros “normais”, e compatibilizam-se com os parâmetros medidos em galáxias com características semelhantes.

Mercedes Filho, co-autora do estudo, admite que “este é um bom exemplo de como a ciência funciona e como o conhecimento avança: novas descobertas são validadas ou contestadas quando se disponibiliza nova informação ou novas técnicas”.

A consequência mais relevante deste estudo de distância é que a massa total da galáxia é cerca de metade da massa estimada inicialmente, enquanto que a massa das estrelas é cerca de um quarto da massa das estrelas estimada inicialmente. Isto implica que uma parte significativa da massa total terá de ser matéria escura.