Investigador do IBMC é o Young Animal Welfare Scientist de 2013

Premiados 2013 da UFAW com Nuno Franco à esquerda

Nuno Franco (à esq. na foto) entre os premiados 2013 da UFAW.

Nuno Henrique Franco, investigador do Instituto de Biologia Molecular e Celular (IBMC) da Universidade do Porto, é o vencedor da edição 2013 do prémio de Jovem Investigador da UFAW (Universities Federation for Animal Welfare), um galardão internacional que distingue alunos de doutoramento, ou doutorados há menos de seus anos, que tenham dado contributos significativos para o bem-estar-animal.

Nuno Franco vê desta forma reconhecido internacionalmente o trabalho de doutoramento em Ciências Biomédicas que defendeu em 2012, no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) da U.Porto, no qual identificou os principais pontos onde é necessário refinar o uso de animais em investigação biomédica – mais concretamente nas áreas de doenças infecciosas e em doenças neurodegenerativas – no sentido de melhorar o seu bem-estar.  Em comunicado, a associação internacional destaca o peso que as publicações do autor tiveram na decisão do júri, algumas das quais com amplo destaque a nível internacional.

O comunicado da UFAW dá especial enfoque a um artigo em que Nuno Franco propõe a utilização de biomarcadores como preditores, numa fase precoce, de fases mais avançadas da doença dos modelos animais utilizados na investigação de doenças infecciosas. O autor sugere a utilização desses marcadores para evitar a dor ou desconforto dos animais nesses estádios mais tardios. Nuno Franco defende, na PLoS Pathogens, que “uma abordagem de base científica para definir quando terminar um dado estudo com animais pode não só prevenir sofrimento desnecessário e evitável nos animais, como contribuir para a optimização de recursos financeiros e humanos, promovendo o retorno científico e acelerando o processo científico”.

A preocupação com o bem-estar dos animais de laboratório tem estado presente desde o advento da medicina moderna e tem vindo a ganhar terreno como área de investigação, com consequente influência nas políticas de financiamento para a investigação biomédica. Este ano, por exemplo, entra em vigor a nova Diretiva da União Europeia para a regulação do uso de animais para fins científicos, naquele que representa um salto qualitativo nas obrigações dos investigadores, técnicos e entidades reguladoras no planeamento, acompanhamento e avaliação da utilização de animais em experimentação.

Parte do trabalho de Nuno Franco centra-se precisamente no acompanhamento da implementação da nova Diretiva e avaliação do seu real impacto no bem-estar animal. O cientista tem também contribuído na definição de orientações para a avaliação prospectiva da severidade de procedimentos científicos com animais – obrigatório no âmbito da nova legislação – nomeadamente num grupo de trabalho internacional reunido para esse efeito. Mais que o valor monetário -mil libras -, a atribuição do prémio da UFAW reveste-se por isso de particular importância para o reconhecimento desta área de investigação em Portugal.

Recorde-se que o IBMC foi pioneiro, há mais de uma década, na criação de um grupo de investigação nesta área específica, o qual tem garantido a vanguarda na implementação de procedimentos experimentais, antecedendo as novas legislações. Para Anna Olsson, coordenadora desta equipa de investigação e orientadora de Nuno Franco, “este prémio é também o reconhecimento do esforço da equipa em desenvolver este trabalho em Portugal, um país com pouca tradição nestas áreas”.