Melhor tese de doutoramento em robótica do país é da U.Porto

Projeto de Miguel Pinto visou aumentar a autonomia do RobVigil, um robô ideal para a vigilância de recintos.

A tese de doutoramento de Miguel Pinto, investigador do INESC TEC e estudante de doutoramento da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), foi eleita pela Sociedade Portuguesa de Robótica (SPR) a melhor tese de doutoramento do país naquela área de conhecimento.

Defendida a 18 de janeiro de 2013, a tese do investigador e agora doutor em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores pela U.Porto foi considerada a dissertação com maior qualidade técnico-científica e caráter inovador.

Intitulada SLAM for 3D Map Building to be used in a Matching Localization Algorithm, a tese de Miguel Pinto tinha como objetivo dar resposta a um problema fundamental que era dotar um robô – o RobVigil – com um módulo de observação com um medidor de distâncias a laser e odometria por forma a torná-lo autónomo. O robô é ideal para a vigilância de recintos e consegue igualmente assegurar tarefas potencialmente perigosas para o homem, demarcando-se das soluções atuais.

Atribuído anualmente pela SPR ao melhor trabalho de dissertação de doutoramento elaborado no âmbito da área científica da robótica, este prémio tem como objetivo estimular a inovação e o rigor do trabalho de investigação, bem como potenciar a divulgação científica de trabalhos de qualidade relevante.

Sobre o RobVigil

Resultado de um consórcio pioneiro a nível mundial, que envolveu a FEP e o INESC TEC, o RobVigil é um dos primeiros robôs vigilantes “inteligentes” nascidos desse trabalho. Pretende-se que estes robôs sejam extensões dos operadores humanos no terreno, com capacidade de fazer rondas, reconhecer e seguir intrusos, bem como de trabalhar em equipa com outros robôs ou mesmo com humanos através de tele e videoconferência, ao contrário das soluções de segurança tradicionais.

Veja o RobVigil em ação aqui.