Premiada investigação da U.Porto que pode ajudar a salvar vidas

Tecnologia criada por Rita Mota e Bruna Costa está em fase de entrada no mercado, com apoio da Escola de Startups do UPTEC.(Foto: ANI)

O projeto CyanoCare, criado pelas investigadoras Rita Mota e Bruna Costa, do Instituto de Investigação e Inovação da Universidade do Porto (i3S), foi distinguido pela ANI – Agência Nacional de Inovação com o Prémio BfK «Born From Knowledge», uma iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior que visa reconhecer projetos que “nascem do conhecimento” e empresas que mais se destaquem em atividades de Investigação e Desenvolvimento (I&D).

A CyanoCare propõe uma tecnologia com potencial para salvar milhares de vidas, uma vez que, quando aplicada a dispositivos médicos, evita a adesão de bactérias responsáveis por infeções hospitalares. Esta tecnologia é especialmente relevante já que em Portugal as infeções hospitalares são sete vezes mais mortais do que os acidentes de viação.

Para além das mais-valias que pode representar para a saúde da população, o projeto desenvolvido no i3S desenvolve produtos de alto valor acrescentado, baseados num polímero produzido de forma totalmente natural e completamente sustentável por uma microalga marinha, 100% natural. A aplicação na área da saúde, agora distinguida, incide sobre os dispositivos médicos, mas esta tecnologia inovadora pode também vir a ter aplicações na área alimentar e cosmética, entre outras.

Nesta altura o CyanoCare está já na escola de startups do UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, com vista a levar a ideia e a tecnologia para o mercado.

Para as investigadoras, estes prémios «representam um importante reconhecimento da nossa investigação e da potencialidade da sua translação para responder aos desafios emergentes da sociedade. Esperamos que estas distinções contribuam para o salto evolutivo deste projeto, nomeadamente na angariação de financiamento que permita a sua escalabilidade com recursos humanos alocados a 100%».

Este revestimento, salientam as investigadoras, «surgiu de uma parceria multidisciplinar entre pessoas de dois grupos do i3S – Rita Mota e Paula Tamagnini do Grupo Bioengineering and Synthetic Microbiology, e Bruna Costa, Fabíola Moutinho e Cristina Martins do Grupo Bioengineered Surfaces) – e tem o apoio do programa RESOLVE».

A atribuição da 13.ª edição dos BfK AWARDS teve lugar no passado dia 21 de fevereiro, em Aveiro, durante a conferência «A Economia Portuguesa e a Indústria 4.0: O Cluster do Mar» e aconteceu no âmbito da primeira edição da competição Splash!, um concurso organizado pela Mermaid Investments para premiar ideias e startups relacionadas com o Cluster do mar. Aliás, o CyanoCare conquistou também a menção honrosa da competição Splash!