Instituto de Sociologia participa em estudo sobre a “praxe” em Portugal

João Teixeira Lopes (FLUP) foi um dos coordenadores deste estudo nacional sobre a praxe.

Uma equipa conjunta de investigadores do Instituto de Sociologia da Universidade do Porto (ISUP), do Centro de Investigação e Estudos Sociais do ISCTE-IUL (CIES) e do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (CES) realizou um estudo inédito sobre o fenómeno social conhecido como “praxe” no ensino superior em Portugal.

Promovido pela própria Direção Geral do Ensino Superior, o estudo “A Praxe Como Fenómeno Social” foi coordenado por João Teixeira Lopes (ISUP e FLUP) e João Sebastião (CIES) e teve como principal objetivo compreender o fenómeno da praxe académica em profundidade, privilegiando-se a interpretação dos significados que diversos atores do sistema de ensino superior (estudantes, dirigentes associativos e dirigentes das instituições de ensino) atribuem ao fenómeno.

Para isso, os investigadores adotaram uma estratégia metodológica diversificada, recorrendo a diversas técnicas de recolhas de informação: inquéritos online às direções de instituições de ensino superior e associações académicas, observação direta de momentos de praxe, grupos focais com estudantes e dirigentes associativos, entrevistas a autoridades académicas, dirigentes estudantis, estudantes e antigos estudantes, análise do tratamento dado pela comunicação social ao fenómeno e, por fim, seleção e análise de documentação existente sobre a praxe.

Ao longo de 273 páginas, os investigadores elaboraram um relatório aprofundado sobre a “praxe” em Portugal que apresenta um conjunto de recomendações para a conceção de políticas públicas favoráveis ao combate das dimensões de dominação (física e simbólica) existentes na praxe, articulando a ação governamental com as instituições de ensino superior, as associações de estudantes, as autarquias e o sistema de justiça.

A Direção Geral do Ensino Superior vai promover uma série de sessões de debate e audição pública para discussão dos resultados do estudo e, em particular, estas suas recomendações de políticas públicas a adotar por Governo, universidades e politécnicos e associações de estudantes.

A primeira destas sessões, que servirá de primeira apresentação pública do estudo, irá decorrer a partir das 11h30 do dia 6 de março, na Universidade do Minho, com a presença do Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, do Presidente do Conselho dos Reitores, António Cunha, e do Presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Politécnicos, Nuno Mangas.

Ao longo das próximas semanas, as sessões de discussão pública do documento irão ainda decorrer na UTAD (16 de março), na Universidade de Évora (23 de março), no Instituto Politécnico de Leiria (28 de março) e no ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa (3 de abril). Futuros locais e datas podem ser consultadas no site da DGES.