INESC TEC lança Centro de Investigação em Engenharia Biomédica

Nova unidade de investigação vem reforçar o trabalho desenvolvido pela U.Porto no campo da Engenharia Biomédica.

Desde o início e 2014 que o INESC TEC conta com mais uma unidade de investigação na sua constituição: o Centro de Investigação em Engenharia Biomédica (Center for Biomedical Engineering Research – C-BER) ambiciona a promoção do conhecimento interdisciplinar através de investigação aplicada, formação avançada e inovação em Engenharia Biomédica. A coordenação da unidade de I&D está a cargo dos investigadores Aurélio Campilho e João Paulo Cunha, ambos docentes da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP, que contam com um percurso consolidado neste campo.

Energia, Robótica, Telecomunicações ou Computação Gráfica são algumas das competências do INESC TEC que, com o C-BER, expande o seu know-how para a área da Engenharia Biomédica. Este domínio já vinha registando uma contínua expansão no Laboratório Associado – recorde-se por exemplo a criação, no ano passado, do grupo BRAIN (Biomedical Research And INnovation). Agregando o BRAIN, mas também investigadores provenientes de outras unidades do INESC TEC e ainda do grupo de Bioimagem do Instituto Nacional de Engenharia Biomédica (INEB), o C-BER tem como missão promover o conhecimento interdisciplinar através de investigação aplicada, formação avançada e inovação em Engenharia Biomédica. As linhas estratégicas centrais visam “contribuir para o avanço no desenvolvimento de metodologias e tecnologias de apoio à prevenção, deteção precoce, diagnóstico e reabilitação de diferentes tipos de patologias, ou debilidades funcionais”, completa Aurélio Campilho.

O C-BER não pretende ser apenas uma unidade isolada e, além da produção de investigação científica, planeia incentivar e melhorar a já existente rede de contactos na U.Porto, a nível nacional e internacional. São apostas da nova unidade a promoção da validação clínica dos produtos e sistemas desenvolvidos, bem como o incentivo à transferência de tecnologias de projetos que já atingiram um grau de maturidade consentânea com a sua aplicabilidade e utilidade clínica. O C-BER quer ainda alargar a ligação empresarial de investigadores, ampliando o envolvimento já existente na parceria com duas empresas cofundadas por investigadores do C-BER, a Biodevices SA e a Kinematix.

“Os investigadores do INESC TEC procurarão contribuir para o desenvolvimento e avanço das tecnologias da Engenharia Biomédica na U.Porto promovendo parcerias estratégias a nível internacional e, principalmente, com outros centros e unidades do INESC TEC, com parceiros clínicos dos hospitais da região, com institutos de investigação como o I3S (Instituto de Inovação e Investigação em Saúde) e, muito especialmente, com o INEB, onde alguns investigadores do C-BER têm as suas raízes”, concluem Aurélio Campilho e João Paulo Cunha.

O C-BER tem nesta fase inicial seis investigadores seniores, vários investigadores de pós-doutoramento e contratados, bem como estudantes de doutoramento e mestrado que desenvolvem investigação assente em três áreas de investigação principais: BioInstrumentação, Imagem Biomédica e NeuroEngenharia.