INESC TEC e CIIMAR em projeto de gestão de riscos nas zonas costeiras

INESC TEC e CIIMAR participam em projeto que pretende mitigar as consequências das alterações climáticas nas zonas costeiras do Norte de Portugal e Galiza.

O INESC TEC e o CIIMAR fazem parte de um consórcio de entidades que está a trabalhar no projeto MarRisk, que vai criar soluções que permitam aumentar a resistência do litoral a situações de crise decorrentes das alterações climáticas, nomeadamente erosões costeiras e inundações.

O projeto pretende desenvolver ferramentas que convertam a informação processada em serviços que possibilitem um planeamento das atividades ligadas à costa e ao mar, nos casos de crise, calculando o impacto das alterações climáticas nos recursos naturais (incluindo a aquacultura e as pescas), nas populações, nos agentes económicos (indústria e turismo) e nas estruturas costeiras, com destaque para as zonas portuárias.

“Existe bastante informação sobre estas matérias, mas a mesma está dispersa, sendo necessário criar uma base de conhecimento comum que possa ser utilizada e reutilizada pelos intervenientes para fazer análises e, com essas, melhores as previsões”, explica o investigador do INESC TEC Artur Rocha.

Neste âmbito, o INESC TEC está a desenvolver uma plataforma de serviços de alerta climáticos, que englobam aplicações e páginas ‘web’ com informação sobre episódios de crise bem como as práticas a adotar, que vai fazer parte de uma infraestrutura de Dados Espaciais marinha.

Já o CIIMAR está a “analisar os riscos costeiros e os serviços que os ecossistemas costeiros prestam, quer em termos de proteção costeira, quer em termos ambientais e paisagísticos. Participará em toda a cadeia de tarefas desde a coleta /compilação dos dados em falta até à modelação, o que permitirá a elaboração de previsões dos efeitos das alterações climáticas e de serviços de alerta”, como refere a investigadora Ana Bio.

O projeto junta 13 entidades do Norte de Portugal e da Galiza, regiões com atividades marítimas e características socioeconómicas muito semelhantes e que enfrentam os mesmos desafios relacionados com as alterações climáticas em zonas costeiras.

O MarRisk tem um orçamento de quase 3 milhões de euros, cofinanciado a 75% pelo FEDER, e a duração de 36 meses.