INESC TEC desenvolve plataforma digital móvel para cegos

Sistema vai integrar as mais recentes tecnologias de captura e impressão de imagens 3D.

Sistema vai integrar as mais recentes tecnologias de captura e impressão de imagens 3D.

Aumentar a autonomia dos cegos ou de pessoas com visão reduzida, permitindo a sua inclusão num maior conjunto de atividades e melhorando a sua qualidade de vida, através de uma plataforma digital móvel: é este o objetivo do projeto CE4BLIND (Context Extraction for the blind using computer vision), que está a ser desenvolvido pelo INESC TEC, em colaboração com o a  Universidade do Texas em Austin (UT Austin) e da Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal (ACAPO).

O projeto CE4BLIND vai integrar as mais recentes tecnologias, tirando partido dos últimos desenvolvimentos dos dispositivos móveis e câmaras miniaturizadas, como o Project Tango, SmartEyeglass, smartphones com aplicações personalizadas, entre outros. Entre as funcionalidades que serão integradas na plataforma inclui-se “a leitura automática de texto de livros, revistas, ementas de restaurantes ou o reconhecimento de embalagens alimentares, com recurso a técnicas de visão por computador.

“O objetivo é obter uma plataforma digital de apoio inteligente e combate à infoexclusão digital dos invisuais, fazendo-os sentir integrados e produtivos na sociedade digital”, explica João Barroso, investigador do INESC TEC e docente na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), responsável pelo projeto.

Para além destas técnicas de visão por computador, vão ser exploradas novas formas de interpretação de dados 3D de objetos estáticos e em movimento. Interfaces hápticas e objetos táteis podem ser criados a partir dos respetivos modelos adquiridos do mundo real. Deste modo pretende-se melhorar a perceção do mundo real pelos cegos.

A plataforma será concebida com uma interface natural, não invasiva, que será usada por este grupo de utilizadores de uma forma adaptada às suas caraterísticas e limitações, sem necessidade de alterar os seus hábitos e rotinas.

Além do INESC TEC (polo da UTAD), o projeto conta com a participação da Universidade do Texas em Austin (UT Austin) e da Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal (ACAPO). Por parte da UT Austin espera-se um contributo no aumento da ligação às empresas e da colocação no mercado de produtos inovadores na área de apoio aos cidadãos com necessidades especiais. Por outro lado, a ACAPO vai disponibilizar os recursos humanos para a realização de testes extensivos com a plataforma digital móvel.