INESC TEC desenvolve ferramenta para apoiar rastreio do cancro do colo do útero

Projeto que agora começa quer ajudar a prevenir o cancro do colo do útero, com o apoio de métodos de visão por computador e de aprendizagem automática.

Prevenir o cancro do colo do útero, através de uma tecnologia que possa ser usada como um sistema de apoio à decisão (Decision Support System). É este o objetivo do projeto CLARE – Rastreio do Cancro do Colo do Útero Assistido por Computador, que será desenvolvido pelo INESC TEC, em colaboração com Fraunhofer Portugal-AICOS.

Aproximadamente 88% dos casos de cancro do colo do útero são diagnosticados em países subdesenvolvidos, onde os meios alocados para prevenção e tratamento são reduzidos, apesar de existir evidência científica suficiente para concluir que a triagem resultaria em reduções significativas na incidência e mortalidade.

A ferramenta que o INESC TEC vai desenvolver neste projeto pretende encontrar características da imagem médica reveladoras de malignidade no colo do útero, através da aplicação de métodos de visão computacional e machine learning nos sistemas de triagem convencionais, como é o caso da Citologia em Base Líquida (LBC) e da Colposcopia.

Métodos mais precisos do que os que atualmente são utilizados no rastreio desta doença e que, assim, possam ser capazes de ajudar os especialistas a tomar decisões de diagnóstico mais exatas.

Esta solução parte do conhecimento obtido noutros projetos na área da saúde que o INESC TEC vem desenvolvendo há anos, como é o caso do diagnóstico do cancro da mama, e beneficia, em particular, do know-how e soluções que o investigador do INESC TEC, Kelwin Fernandes, desenvolveu durante o Programa Doutoral em Informática das Universidades do Minho, Aveiro e Porto (MAPi).

Financiado pelo FEDER – Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, o projeto CLARE tem data prevista de conclusão em 2021.