INESC TEC coloca media portugueses no mapa europeu

nem portugal

O lançamento da plataforma NEM Portugal teve lugar na Casa da Música, Porto.

O INESC TEC, em conjunto com o polo TICE.PT (Tecnologias da Informação Comunicação e Electrónica) e a ADDICT – Agência para o Desenvolvimento das Indústrias Criativas, criou a plataforma “NEM Portugal”, espelho da europeia NEM (New European Media), que tem como objetivo dar voz aos novos media e contribuir para o crescimento das exportações de produtos culturais portugueses.

De acordo com o estudo “A cultura e a criatividade na internacionalização da economia portuguesa”, divulgado pelo Governo português no início do ano, os novos media são um setor emergente no país que contribui ativamente para o aumento das exportações dos produtos culturais made in Portugal. É nesse contexto que nasce a NEM Portugal, iniciativa que, de acordo com Artur Pimenta Alves, consultor da Direção do INESC TEC e responsável pela iniciativa no instituto portuense, “pretende ser um espelho da sua congénere europeia, que agrega um conjunto de instituições de investigação, empresas e órgãos de comunicação social junto do programa da Comissão Europeia.”

Para Vasco Lagarto, Presidente da Comissão Executiva do TICE, “esta plataforma nasce para alavancar a interação dos atores portugueses com as plataformas europeias e assim alinhar os interesses nacionais com as estratégias a nível europeu. Pretende-se ainda estimular a formação de consórcios que concorram, de forma mais competitiva, a fundos europeus estruturais.”

A iniciativa NEM Portugal vai promover a preparação de projetos europeus que envolvam empresas da área criativa e tecnológica, e contribuir para a sua internacionalização. “Nós saímos de um mundo em que os órgãos de comunicação social trabalhavam dentro de fronteiras. Cada país tinha os seus órgãos e o seu alcance estava dentro dessas fronteiras. Em Portugal ainda temos muitas entidades a trabalhar nesta lógica. Para já, o maior impedimento à mudança é o facto de não haver uma estratégia global. Portanto, os criadores de novos produtos têm muitas ideias, mas não as conseguem colocar no terreno”, explica Artur Pimenta Alves. Desta forma, a NEM Portugal irá funcionar como “uma estratégia agregadora que integrará entidades e órgãos de comunicação social, que também seja conhecida na Europa, e que possa até atrair algum investimento”, acrescenta.

Mais de 60 participantes na Invicta

O lançamento da plataforma, que teve lugar a 9 de setembro na Casa da Música, no Porto, contou com cerca de 60 participantes, incluindo alguns dos nomes mais sonantes da produção e distribuição de novos media em Portugal: PT IS, RTP, Vodafone, Público, Câmara Municipal do Porto (CMP), que apresentaram e debateram estratégias de posicionamento de Portugal neste setor . Presente esteve também Jean-Dominique Meunier, chairman da NEM Europeia, que, de acordo com Artur Pimenta Alves, “viu a plataforma com muito bons olhos”.

Para Jean-Dominique Meunier, “esta é uma iniciativa muito positiva uma vez que o que precisamos nas indústrias criativas e na indústria dos conteúdos é de ter o maior número possível de representantes, e agrupar os diferentes setores a nível local, regional e nacional.” O chairman da NEM europeia afirma ainda acreditar “que a iniciativa NEM Portugal trará uma nova visibilidade aos novos media portugueses porque é uma oportunidade não só para dar a conhecer à comunidade NEM a força de todos os atores portugueses envolvidos, mas também para estes promoverem o que estão a fazer.”

“O NEM tem cerca de mil parceiros neste momento, e cerca de 3% são portugueses. Não há uma estratégia nacional, e estas entidades estão lá individualmente”, explica Artur Pimenta Alves, acrescentando que “com a NEM Portugal, acreditamos que ainda este ano conseguiremos duplicar este número.” A NEM Portugal vai promover a preparação de projetos europeus com parceiros nacionais e internacionais, e por isso a iniciativa vai funcionar como um ‘chapéu’ agregador de várias entidades que pretendem ter voz a nível europeu. “O que ressaltou das apresentações na Casa da Música foi o grande apreço dos presentes por esta plataforma que lhes vai permitir discutir em conjunto estratégias para atingirem os mercados internacionais,” conclui Artur Pimenta Alves.