IDOCare vence Startup Pirates@Porto2014

O pódio na sessão final, na Reitoria da U.Porto

O pódio na sessão final do Startup Pirates@Porto, realizada na Reitoria da U.Porto.

Ligar idosos a prestadores de cuidados, promovendo assim a melhor assistência a uma população cada vez maior em Portugal. É essa a proposta da plataforma IDOCare, o projeto vencedor da quarta edição do Startup Pirates@Porto, um programa de incentivo ao empreendedorismo jovem  que conta com o apoio da Universidade do Porto, a Upin e o Gapi 3.

A escolha do vencedor deste ano resultou de uma semana de trabalho, recheadas workshops e mentoring com mais de 25 convidados, conversas com empreendedores e desenvolvimento de ideias. Os oito melhores projetos garantiram um lugar sessão final do evento, realziada no passado dia 8 de feverereiro, no Salão Nobre da Reitoria da U.Porto, onde “enfrentaram” o júri constituído pelo Pró-Reitor da U.Porto, Carlos Brito,  pelo Vereador do Pelouro da Inovação e Ambiente da Câmara Municipal do Porto, Filipe Araújo, por  Elisa Nunes (Invicta Angels) e Felipe Ávila da Costa (UPTEC).

Para além da vitória na competição, a equipa IDOCare garantiu a entrada automática da empresa no programa de aceleração do UPTEC. Em segundo  lugar ficou a World Exhibitions, promovido por uma equipa que tem a visão de construir uma forma inovadora de interacção com museus e galerias de arte. O último lugar do pódio foi atribuído à Dourim, um projeto que tem em curso o desenvolvimento de produtos cosméticos naturais com propriedades anti-alérgicas. Todos os vencedores terão ainda acesso a uma série de ferramentas e serviços no arranque dos seus projectos

Com uma abordagem muito prática e com o apoio de uma grande comunidade de empreendedores experientes, o Startup Pirates – iniciativa nascida em 2011 na cidade do Porto, passando desde então por 17 cidades em nove  países – combina workshops e mentoring com um foco claro em acelerar o desenvolvimento dos empreendedores e das suas ideias.  Nesta quarta edição no Porto, é de realçar o esforço dos 33 “piratas” que tiveram a oportunidade de avançar com os seus projectos, em conjunto com toda a rede de parceiros do programa.

“Este foi apenas o arranque, mas muitos mais desafios se seguirão. Que os bons ventos os guiem!”, perspetiva Daniela Monteiro, membro da organização.