i3S em projeto europeu de 6,1 milhões de euros sobre doenças das articulações

O i3S é uma das 13 entidades que participam no projeto MIRACLE, liderado pela Universidade de Oulu (Finlândia).

Liderado pela Universidade de Oulu, na Finlândia, o projeto MIRACLE (Sistema de imagem inovadora de artroscopia de infravermelho médio para exame clínico em tempo real e diagnóstico de doenças degenerativas das articulações), no qual o i3S – Instituto de investigação e Inovação da Universidade do Porto é um dos 13 parceiros, foi recentemente financiado com 6,1 milhões de euros pelo programa Horizonte 2020.

O projeto MIRACLE irá desenvolver e preparar para comercialização a primeira sonda de artroscopia utilizando infravermelho médio (MIR) que permitirá o diagnóstico precoce das doenças das articulações mais frequentes. O i3S receberá 440 mil euros para participar nos processos de validação dos protótipos, gerir o percurso regulamentar de cada componente e definir estratégias de comercialização do produto final. Será também responsável pela comunicação e divulgação do projeto, explica João Cortez, o coordenador do projeto no i3S.

A sonda a desenvolver irá permitir, por exemplo, o diagnóstico precoce da osteoartrite, uma doença degenerativa que afeta 242 milhões de pessoas em todo o mundo e tem alta prevalência na Europa, atingindo cerca de 20 a 40 por cento da população de idosos, com custos elevados para os atuais sistemas de saúde europeus.

O dispositivo proposto, explica João Cortez, destina-se a ser utilizado durante uma cirurgia minimamente invasiva (artroscopia). Atualmente, a tomada de decisão do cirurgião é baseada na inspeção visual e avaliação manual do tecido da cartilagem, que é sempre subjetiva. Se não tratadas ou não corretamente tratadas, as lesões articulares provavelmente avançarão para osteoartrite, com consequente dor nas articulações, limitação de movimentos e, finalmente, incapacidade e necessidade de colocação de implantes.

O conceito do MIRACLE é proporcionar a avaliação a nível bioquímico da cartilagem articular in vivo, de modo a facilitar a tomada de decisão pelo ortopedista. A viabilidade desta abordagem como método de diagnóstico foi demonstrada pelo consórcio, tendo sido já desenvolvido um protótipo de sonda MIR com uso potencial para diagnóstico. Com o desenvolvimento da tecnologia, o MIRACLE trará para o mercado de artroscopia, a primeira sonda baseada em MIR, uma ferramenta de diagnóstico única, precisa e quantitativa para o cirurgião ortopédico.

«Além de agregar valor à indústria europeia de equipamentos médicos, o MIRACLE pretende contribuir para a redução do custo de tratamento de pacientes com osteoartrite (atualmente o tratamento de cada doente na Europa pode custar até € 10,452/ano), para cuidados de saúde pública mais acessíveis e para a promoção do bem-estar da população europeia», sublinha João Cortez.