História de uma voluntária contada na Faculdade de Ciências

Causas como a discriminação da mulher na sociedade africana e o desenvolvimento comunitário foram o objetivo da viagem à Namíbia.

Única cidadã portuguesa de um grupo de quatro pessoas, Mila Cravinho passou oito meses na Zâmbia numa ação de voluntariado através da organização Humana People to People. A história desta experiência pode ser conhecida, no dia 28 de maio, a partir das 14h30, na sala 0.41 do Departamento de Biologia da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, contada na primeira pessoa.

Formada na área da Educação, Mila Cravinho embarcou na viagem do voluntariado rumo à Zâmbia, com o objetivo de lutar por causas como a discriminação da mulher e o desenvolvimento comunitário. Tudo começou com um projeto que levou a cabo, em conjunto com mais três pessoas, e que visava promover a instalação de kits de aprendizagem nas escolas, elucidando a população acerca da importância da educação e instrução dos jovens.

Este projeto, cujos resultados mostraram o sucesso da ação em mais de 100 escolas, evoluiu para um trabalho com as comunidades locais no sentido de as informar sobre a importância da luta contra a discriminação da mulher na sociedade africana, tendo conseguido criar um grupo de mulheres que lutassem pelos seus direitos. Outra das metas foi manter a população informada acerca do flagelo da SIDA, através de campanhas de sensibilização e prevenção.

De regresso a Portugal, Mila Cravinho dá a conhecer a sua história num encontro a realizar da FCUP. A próxima paragem desta viagem pelo voluntariado será a Namíbia, onde passará cinco meses no âmbito de um novo projeto.

A entrada é livre.