Helder Maiato é “o melhor entre os melhores da investigação europeia”

Helder Maiato dirige o grupo de investigação em Dinâmica e Instabilidade dos Cromossomas no IBMC. (Foto: IBMC)

Helder Maiato, investigador do Instituto de Biologia Molecular e Celular (IBMC) da Universidade do Porto, é o vencedor da edição deste ano do prémio que distingue o melhor entre os melhores da investigação europeia, o Louis-Jeantet Young Investigator Career Award (YICA). A Fundação Louis-Jeantet, sediada em Genebra, instituiu este prémio em 2011 com objetivo de encorajar e apoiar o melhores talentos jovens a trabalhar em investigação biomédica na Europa. Para premiar, escolhe anualmente um dos que conquistaram uma ERC Starting Grant, as bolsas milionárias do European Reasearch Council, e cujo projeto está a chegar ao fim com sucesso.

Helder Maiato estuda da divisão celular, em particular das forças responsáveis pelo movimento dos cromossomas durante esse processo. Segundo o investigador “durante muitos anos deu-se apenas atenção às relações e componentes bioquímicos que condicionam a divisão das células mas nós retomámos a ideia de que a física e as forças desempenham um papel igualmente importante no processo de divisão”. Perceber como as células se dividem, como é que podem ocorrer erros, ou como as células ultrapassam esta fase de forma fidedigna tem se revelado fundamental para entender inúmeras doenças, nomeadamente o cancro. Na verdade, todos somos feitos de células que se dividem ao longo da nossa vida e é durante a divisão que cada célula tem que repartir cópias exatas do seu material genético pelas duas células filhas que resultam da divisão. Se ocorrerem erros, as consequências podem ser biologicamente ser desastrosas.

Em 2010, Helder Maiato foi um dos contemplados com uma ERC Starting Grant, uma bolsa atribuída pelo Conselho Europeu para a Investigação para financiar os melhores projetos e ideias de investigação europeia. Contudo o percurso de Helder Maiato é vasto e cheio de sucesso. O investigador conta no curriculum com o Prémio da Sociedade Portuguesa de Genética Humana, o prémio “Estímulo à Investigação” da Fundação Calouste Gulbenkian, o prémio Crioestaminal, e muito recentemente o FLAD Life Science 2015, entre outros reconhecimentos.

Agora que o projeto ERC Starting Grant chega ao fim, a Fundação LOUIS-JEANTET destaca-o de entre os que foram financiados nesse anos. A atribuição do prémio, de 100.000 francos suíços para investigação e 10.000 para gastos pessoais, já veio em 2014 para Portugal. Nesse ano foi Rui Costa, investigador da Fundação Champalimaud e antigo estudante do GABBA | Programa Graduado em Áreas da Biologia Básica e Aplicada da Universidade do Porto, quem recebeu a distinção.

Helder Maiato

Maiato é um dos mentores do Yscience, um projeto que tem por missão promover nas crianças o fascínio pela ciência através do contacto direto entre cientistas. (Foto: DR)

Helder Maiato, dirige o grupo de investigação em Dinâmica e Instabilidade dos Cromossomas no atual IBMC que, muito em breve, integrará o I3S – Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto.

Para além de uma indubitável carreira científica de sucesso, Maiato empreendeu já este ano num outro projeto, a Yscience, ainda a atuar apenas na região do Porto, que tem por missão promover nas crianças o fascínio pela ciência e pelo desconhecido através do método científico e do contacto direto entre cientistas. Seguindo as pisadas do sucesso científico, o novo projeto tem todas as condições para conseguir pôr crianças a ver o mundo de outros pontos de vista, mais próximo daquilo que é o pensamento científico.

A cerimónia de entrega do prémio Louis-Jeantet Young Investigator Career teve lugar esta segunda-feira, dia 12 de outubro, em Genebra, na Suíça.

  • Mariana Esmeriz

    Parabéns Hélder! =))