Fungo coloca centenas de espécies de anfíbios de Madagáscar em risco

A Mantella baroni é uma das várias espécies de anfíbios endémicas de Madagáscar que se encontram em perigo. (Foto: Angelica Crottini)

Um fungo, vulgarmente conhecido como quitrídio-dos-anfíbios, que tem vindo a causar o declínio acentuado das populações de anfíbios da América Central, Austrália, oeste dos Estados Unidos, Europa e este de África, foi agora identificado em Madagáscar.

Os resultados de um estudo, que contou a participação de Angelica Crottini, investigadora do CIBIO-InBIO, publicado pela revista Scientific Reports, revelam que o fungo está presente em anfíbios selvagens de Madagáscar desde 2010.

Esta situação levou a que conservacionistas de todo o mundo se unissem para tomar medidas que atuem sobre esta grave ameaça, que pode afetar um país que alberga 7% da biodiversidade de anfíbios a nível mundial. Uma equipa de peritos analisou mais de 4.100 anfíbios na ilha de Madagáscar, e confirmou a presença do fungo em 5 localizações diferentes.

A Aliança para a Sobrevivência dos Anfíbios (ASA) afirma ter consciência da gravidade da situação e espera, desta vez, poder fazer a diferença de modo a prevenir as altas taxas de mortalidade que têm ocorrido noutros países. A ASA apoiou, em 2014, a organização do 2.º encontro “A Conservation Strategy for the Amphibians of Madagascar”, planeado com a colaboração do CBIO-InBIO, que tem em vista a definição de estratégias para prevenir ou diminuir as ameaças aos anfíbios de Madagáscar.

  • Maria Irene Barros

    Obrigada aos Investigadores. Atualmente não sei qual vai ser a opção. Qual das espécies terá maior interesse económico?