FMUP participa no maior estudo internacional sobre consultas de cuidados primários

Uma consulta de cuidados primários em Portugal dura, em média, pouco menos de 16 minutos. (Foto: DR)

O maior estudo internacional realizado até à data sobre a duração média das consultas de cuidados primários – ou Medicina Geral e Familiar – coloca Portugal na 10.ª posição do ranking – entre 67 países -, com uma média de 15,9 minutos por consulta. A investigação contou com a participação de Ana Luísa Neves, investigadora do Departamento de Medicina da Comunidade, Informação e Decisão em Saúde (MEDCIDS) da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) e do Imperial College London.

Em 15 dos países estudados– o que representa 50 por cento da população mundial – a duração média de uma consulta de cuidados primários é inferior a cinco minutos. A Suécia ocupa a primeira posição com uma duração média de 22,5 minutos por consulta. Já o Bangladesh surge no último lugar, com uma duração média de 48 segundos.

O estudo aponta que, além de colocar os médicos em risco de burnout, as consultas com tempos mais curtos foram associadas a piores resultados de saúde para os pacientes. A investigação permitiu, também, salientar uma relação entre as consultas mais curtas e a prescrição de múltiplos fármacos prescritos a um paciente, uso excessivo de antibióticos e má comunicação entre o paciente e o médico.

A procura de cuidados de saúde primários tem aumentado em todo o mundo, exercendo uma maior pressão nos tempos médios de consulta.