FMUP, ICBAS e CMP dão “última morada” aos dadores de corpo à Ciência

Homenagem Doação de Corpos FMUP, ICBAS e CMP

A cooperação entre as Escolas Médicas do Porto e o Município foi assinalada com o descerramento de uma placa de homenagem à doação do corpo humano para ensino médico e investigação no Cemitério de Agramonte. (Fotos: Filipa Brito / CMP)

A Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) e o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) contam agora com a colaboração da cidade do Porto para honrarem os compromissos assumidos com os dadores de corpo humano para o ensino e a investigação médica. No passado dia 13 de maio, a Câmara Municipal do Porto (CMP) celebrou com as duas Escolas Médicas da U.Porto protocolos que preveem que o Município fique responsável pela cremação dos restos mortais dissecados, findos os estudos.

A doação de cadáveres para estudo e investigação é visto pela Academia como um ato de generosidade e filantropismo. A doação contribui para formar melhores médicos, com conhecimentos mais sólidos, e maior humanismo, logo, mais aptos a tratar dos vivos. A existência de corpos doados possibilita ainda o desenvolvimento de vários estudos técnicos e científicos que têm como metodologia a observação e manipulação anatómica.

Em todo o processo inerente ao uso dos corpos para estudo ou investigação, os médicos, cientistas e estudantes de Medicina têm a máxima consideração pela dignidade pessoal e social do falecido e dos seus familiares. As cerimónias fúnebres que antecedem o ato de doação ou outras homenagens em nada são prejudicadas.

A partir de agora, com a assinatura destes novos protocolos, que visam “dar um destino final aos corpos doados a essas instituições para apoio à investigação científica”, o Município compromete-se a efetuar as futuras cremações no Crematório do Cemitério do Prado do Repouso, sendo depois as cinzas inumadas no serenarium, local de inumação de cinzas no Cemitério de Agramonte.

Para assinalar esta cooperação entre as Escolas Médicas do Porto e o Município, foi descerrada uma placa de homenagem à doação do corpo humano para ensino médico e investigação no Cemitério de Agramonte na passada sexta-feira, 13 de maio. Na cerimónia estiveram presentes Filipe Araújo, vereador da Inovação e Ambiente da Câmara do Porto, Maria Amélia Ferreira, diretora da FMUP e António de Sousa Pereira, diretor do ICBAS, entre outros convidados da Universidade e da Câmara Municipal do Porto.