FMUP estuda tratamento para hipertensão pulmonar

Projeto liderado pelo Departamento de Fisiologia e Cirurgia Cardiotorácica da FMUP

O Departamento de Fisiologia e Cirurgia Cardiotorácica (DFCC) da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) vai dar início a um projeto científico que pretende avaliar o potencial terapêutico da urocortina 2 (uma proteína com propriedades cardioprotetoras) na hipertensão pulmonar. O projeto será financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) com uma verba de mais de 80 mil euros.

Coordenado por Carmen Brás Silva, investigadora do DFCC da FMUP e docente da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da U.Porto (FCNAUP), este trabalho vai investigar o papel da urocortina na hipertensão pulmonar e na progressão para insuficiência cardíaca, e determinar a sua repercussão na função miocárdica. Se a hipótese levantada pela equipa de investigação da FMUP estiver correta – e a proteína em estudo tiver potencial preventivo ou curativo na hipertensão pulmonar e insuficiência cardíaca do ventrículo direito – abrem-se portas ao desenvolvimento de novos fármacos para o tratamento destas patologias.

A investigadora da FMUP, que se tem dedicado nos últimos anos ao estudo de novas abordagens terapêuticas na hipertensão pulmonar, lembra que “as opções terapêuticas atuais estão direcionadas sobretudo para a disfunção endotelial e vasoconstrição”. “Estes fármacos podem atrasar a progressão da doença, mas não garantem a sua cura”, explica a docente universitária. Daí que o desenvolvimento de novas alternativas farmacológicas se revista de especial importância.

Note-se que a hipertensão arterial pulmonar é o mais grave distúrbio crónico da circulação pulmonar, acabando por conduzir à insuficiência cardíaca direita e, consequentemente, à morte.

O projeto, que conta com colaborações da Universidade de Antuérpia (Bélgica), da Universidade de Otago (Nova Zelândia) e da Universidade de Basel (Suíça), terá a duração de dois anos e arranca já em julho.