FMUP desenvolve plataforma pioneira no apoio ao diagnóstico médico

Com apenas um clique, o médico terá acesso imediato ao histórico clínico de cada paciente. (Fotos: Egidio Santos/U.Porto)

Maximizar o tempo passado com o doente e o acesso a informações clínicas na hora. É o que vai permitir aos profissionais de saúde uma plataforma inovadora desenvolvida na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), em parceria com o Centro Hospitalar Universitário de São João (CHUSJ), e que irá possibilitar aos clínicos o acesso imediato a informações pertinentes sobre o doente, auxiliando o diagnóstico médico.

Através desta plataforma, e com apenas um clique, o médico terá acesso imediato a um conjunto de informações clínicas sobre o histórico de cada paciente, a partir de palavras-chave associadas a «sintomas», «história familiar», «alergias», «efeitos adversos de medicação», «medicação habitual», «resultados de exames complementares», entre outros conceitos espalhados em texto livre por centenas e centenas de notas clínicas.

“Esta solução vem maximizar o tempo passado a observar o doente e potencia a qualidade e a segurança da decisão, permitindo uma rápida compilação do historial clínico”, adianta Amândio Sousa, coordenador do projeto. Atualmente, “estas informações são impossíveis de serem recolhidas automaticamente e exigem que um médico gaste muito tempo a rever todos os textos clínicos de cada paciente, sequencialmente e de forma totalmente manual, até poder chegar a uma conclusão sobre qualquer um dos tópicos registados”, explica o também professor da FMUP.

Desenvolvido no âmbito do “Digital Patient”, este projeto de desenvolvimento tecnológico, aplicado em ambiente hospitalar, tem como objetivo principal o desenvolvimento de ações de validação de uma plataforma informática inteligente e revolucionária de assistência à Decisão Clínica, a qual irá tirar partido da análise automatizada e massiva de milhares de dados clínicos dos pacientes (Big Data). O facto de ser a única plataforma do género em língua portuguesa, torna-a possível de vir a ser adotada nos países que partilham o mesmo idioma, como o Brasil.

O projeto permitirá que se criem modelos matemáticos capazes de modelar a evolução do risco clínico a cada paciente, em cada momento. Uma vez concebidos esses modelos, passa a ser possível a sua incorporação num sistema informático de apoio à decisão clínica que se pretende validar, em ambiente hospitalar, e que conduzirá a tratamentos mais precisos e seguros.

A plataforma foi desenvolvida pela Unidade de Investigação e Desenvolvimento Cardiovascular (UnIC) da FMUP, em parceria com o CHUSJ, onde está a ser implementada de uma forma progressiva.