FEUP vai promover a Engenharia de Custos em Portugal

João Falcão e Cunha (FEUP) e Paulo Dias (IBEC) no momento da assinatura do protocolo que decorreu no dia 19 de outubro, na FEUP.

João Falcão e Cunha (FEUP) e Paulo Dias (IBEC) no momento da assinatura do protocolo que decorreu no dia 19 de outubro, na FEUP.

A Faculdade de Engenharia da U.Porto (FEUP) e o Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos (IBEC) assinaram um protocolo de cooperação com vista à promoção da Engenharia de Custos em Portugal.

A cerimónia aconteceu na Faculdade de Engenharia, no dia 19 de outubro, e contou com a presença de Paulo Dias, presidente do IBEC, de João Falcão e Cunha, director da FEUP e Hipólito Sousa, diretor do Laboratório de Sistemas e Componentes da FEUP.

Além da formalização deste protocolo de colaboração entre as duas entidades, Paulo Dias teve também oportunidade de promover a importância da Engenharia de Custos no Mercado português, tendo apresentado programas para a certificação profissional nesta área, algumas atividades técnicas e estudos que têm vindo a ser produzidos. O presidente do IBEC proferiu uma palestra, no dia 20 de outubro, para estudantes e investigadores da FEUP, centrada sobretudo no “Gerenciamento de Custos no Século XXI: a integração com a gestão de projetos”.

A aproximação do IBEC à FEUP tinha já acontecido em maio, no Rio de Janeiro, quando a Faculdade de Engenharia foi homenageada na cerimónia de comemoração dos 37 anos do IBEC. Falamos de uma das mais prestigiadas organizações brasileiras no que diz respeito à Engenharia de Custos e que desde 2007 distingue os profissionais que mais se destacaram nesta área, contribuindo para o desenvolvimento do país e a construção de uma sociedade melhor. Entre as personalidades distinguidas na edição deste ano, em maio, destaque para os representantes de entidades de engenharia da Argentina, Bolívia, Colômbia e Honduras. Portugal esteve representado pelo Prof. Hipólito de Sousa, professor do departamento de Engenharia Civil da Faculdade de Engenharia, que esteve na cerimónia em representação da FEUP.

Para o professor Hipólito de Sousa, esta homenagem faz sentido atendendo aos resultados e à notoriedade que a área de engenharia civil da FEUP tem vindo a alcançar. “Ao longo de muitas décadas a FEUP formou gerações de engenheiros e líderes da sociedade portuguesa. A Engenharia Civil sempre foi uma das áreas de afirmação da FEUP e uma das áreas científicas mais sedimentadas. Rankings internacionais idóneos colocam o curso em Engenharia Civil da FEUP entre os 100 melhores do mundo, com excelentes desempenhos, designadamente na investigação e na qualidade do seu ensino”.

A aproximação ao mercado brasileiro é considerada estratégica, uma vez que vai permitir aproximar os dois países num domínio técnico muito importante para a engenharia e a sociedade: a avaliação de custos. Na opinião de Hipólito de Sousa “a complementaridade dos conhecimentos de ambas as instituições e das nossas experiências, se adequadamente partilhados, pode ajudar os profissionais dos dois países de forma bastante eficaz. Do nosso lado, na FEUP, temos expectativas elevadas associadas a este convénio”, admite o investigador. E reforça esta convicção ao considerar que um dos principais desafios que as sociedades modernas enfrentam é levar à maioria das populações do mundo “muitas das facilidades que já estão disponíveis para alguns. Esse esforço vai obrigar os decisores públicos a uma gestão muito eficiente dos recursos escassos e para isso a capacidade dos engenheiros avaliarem os custos das opções de forma técnica e profissional e assessorarem a tomada de decisões públicas é fundamental”, adianta Hipólito de Sousa.

Neste momento, estão abertas as inscrições e as candidaturas para submissão de trabalhos científicos para o Congresso Mundial de Engenharia de Custos e Gestão de Projetos que vai acontecer em outubro de 2016, no Rio de Janeiro.