FEUP reedita dois grandes livros sobre as pontes da cidade do Porto

50º aniversário da Ponte da Arrábida é pretexto para a reedição de duas obras sobre as travessias do Douro.

No ano que assinala o 50º aniversário da Ponte da Arrábida, a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), com a chancela da FEUP Edições, vai reeditar duas grandes obras ligadas às pontes da cidade do Porto. O relançamento está agendado para 11 de dezembro, às 17h30, no 1º piso da Biblioteca da FEUP.

Figura maior da engenharia portuguesa, Edgar Cardoso (1913-2000) assinou alguns dos projetos de construção de pontes mais emblemáticos sobre a cidade do Porto, como a Ponte da Arrábida ou a Ponte de S. João. Da obra projetada, o que mais se salienta são as pontes. Eram consideradas verdadeiras esculturas: inovadoras, imponentes, leves e esteticamente modernas. A re-edição do livro “Edgar Cardoso – Engenheiro Civil” de Luís Lousada Soares (2003) retrata fielmente a impressionante capacidade inventiva e a habilidade manual de Edgar Cardoso, numa edição bem trabalhada e documentada do ponto de vista fotográfico. Esta reedição do livro assume-se como um importante legado da obra de Edgar Cardoso, um dos profissionais mais notáveis da Engenharia Portuguesa do século XX.

As pontes, sendo um dos tipos de obras mais representativos da engenharia civil são, ao mesmo tempo, elementos que marcam a história e a vida das cidades e dos seus habitantes. Acompanham o desenvolvimento das cidades, ao mesmo tempo que as impulsionam, as marcam no tempo, afirmando-se como seus símbolos emblemáticos. Consideradas como obras-de-arte, as pontes do ponto de vista da engenharia, associam-se a momentos de inovação científica e avanços tecnológicos, impondo desafios crescentes do ponto de vista da sua grandeza mas também da sua simplicidade.

Foram estes os motivos que levaram Manuel Azeredo (1949 – 2000), professor da FEUP, a dedicar-se à investigação e estudo das pontes, dando origem à obra “As pontes do Porto: história de uma paixão”, de Maria Augusta Azeredo, editada pela primeira vez no ano de 2002.  A partir de 11 de dezembro, estará disponível uma re-impressão desta obra, com a chancela da FEUP Edições.