FEUP leva “Horta à Porta” através da agricultura biológica

Iniciativa tem como objetivo a criação de espaços verdes dinâmicos, mas também a promoção do contacto com a Natureza e a redução de resíduos. (Foto: DR)

A sustentabilidade, em particular das cidades é um assunto que está na ordem do dia. A qualidade do meio urbano está dependente da ação do ser humano nos ecossistemas, o que levou a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) a integrar o projeto “Horta À Porta”, uma iniciativa da Lipor que visa promover a qualidade de vida da população, através de boas práticas agrícolas.

Criada há 4 anos e composta por 2 talhões, a Horta da FEUP está situada no espaço do Centro Hospitalar Conde Ferreira, no Parque José Avides Moreira. “Este parque integra um espaço composto por 230 talhões de 30 m2 somente dedicado a hortas orgânicas, a partilhar pelos funcionários da instituição, os utentes e o público em geral”, revela Ana Carla Madeira, coordenadora do projeto na FEUP e responsável pelo Comissariado para a Sustentabilidade. Fruto de uma total reconversão de um terreno baldio de 3 hectares, o parque é composto por hortas terapêuticas, comunitárias e pedagógicas, estufas, viveiros, pomares, uma zona destinada a animais e ainda jardins e um parque infantil.

Ana Carla Madeira revela que o projeto “tem sido bem acolhido pela comunidade FEUP”. A adesão “varia com a altura do ano”, havendo uma maior participação na Primavera e no Verão, “em média, entre dez a quinze pessoas”. O trabalho realizado passa por preparar o terreno, semear, plantar, limpar e colher os legumes: o normal de um campo de cultivo.

A criação de hortas na cidade tem como objetivo promover a sustentabilidade urbana, através da prática de uma agricultura biológica: uma forma de produção na qual não são usados inseticidas ou fertilizantes químicos, criando um ecossistema equilibrado. “A agricultura biológica associada a um conjunto de boas práticas agrícolas como, por exemplo, a compostagem caseira, contribui para melhorar a qualidade do ambiente e a saúde da população”, afirma Ana Carla Madeira.

Dados oficiais publicados em 2018, no Âmbito do Plano de Estratégia Nacional para a Agricultura Biológica, apontam para que haja em Portugal cerca de 270 mil hectares disponíveis para criação de hortas comunitárias. . De acordo com Miguel Freitas, secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, 50% dos legumes biológicos consumidos no nosso país são importados, o que realça a importância de se apostar cada vez mais neste tipo de mercado.

O “Horta à Porta” na FEUP surgiu no âmbito da colaboração de António Brito, docente do Departamento de Engenharia e Gestão Industrial (DEGI), com a Santa Casa da Misericórdia do Porto (SCMP). Henriqueta Nóvoa, professora do Departamento de Engenharia e Gestão Industrial (DEGI), foi a responsável pelo arranque do projeto na FEUP. Atualmente, o “Horta à Porta” encontra-se sob a responsabilidade do Comissariado para a Sustentabilidade.

Para os interessados em praticar agricultura biológica e compostagem, esta é uma oportunidade a não perder. Para se associar a esta iniciativa, deve enviar um email para o Comissariado para a Sustentabilidade (sustentabilidade@fe.up.pt).