FEUP desenvolve luva interativa para quarteto de Ópera português

A luva interativa foi criada no Laboratório de Instrumentação para Mediação do Departamento de Engenharia Mecânica da FEUP. (Foto: DR)

Chama-se ‘Quarteto Contratempus’, é um grupo coletivo artístico que produz ópera 100% original e que vai estrear a sua próxima produção no dia 16 de setembro, às 19h00, no Teatro do Campo Alegre, no Porto, utilizando um instrumento interativo totalmente inovador desenvolvido na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP).

Intitulada “As sete mulheres de Jeremias epicentro”, a ópera cómica vai utilizar em cena uma luva interativa criada no Laboratório de Instrumentação para Mediação do Departamento de Engenharia Mecânica da FEUP em 2014. As posteriores evoluções realizadas por Rafael Tavares têm sido sob orientação dos docentes Paulo Abreu e Teresa Restivo. Inicialmente criado para atuar sobretudo em contextos de fisioterapia, este instrumento sofreu posteriormente um trabalho de adaptação ao contexto da ópera, trabalho esse encabeçado por Hugo Mesquita, na altura estudante do Mestrado em Multimédia e integrado no Laboratório de Computação Sonora e Musical (DEI), e sob orientação e co-orientação dos docentes Rui Penha e Paulo Abreu, respetivamente.

Atualmente a frequentar o Programa Doutoral em Media Digitais, Hugo Mesquita continua a trabalhar na adaptação da luva interativa à ópera, aprimorando a sua capacidade de manipular, em tempo real, som, imagem e luz e fazendo com que este instrumento interativo (‘wearable’) torne a produção mais dinâmica, apelativa e rica em efeitos. Para além da FEUP, esta criação conta com o apoio da Direção Geral das Artes, Município do Porto, Fundação GDA e Fundação Calouste Gulbenkian, entre outras entidades.

Encenado por António Durães, com composição de Jorge Prendas, libreto assinado por Mário João Alves e coproduzido com o Teatro Municipal do Porto, a peça conta essencialmente a história de Jeremias Epicentro, um D. Giovanni moderno e incansável que se apaixona e desapaixona num pequeno espaço entre quatro paredes. O espetáculo envolve todos os instrumentistas em cena enquanto atores e vai incluir, além da luva, outras tecnologias multimédia interativas em função das artes performativas com cenografias virtuais e aumentadas.

Os bilhetes têm um custo de 7,50 euros e podem ser adquiridos no Teatro Municipal do Campo Alegre. Mais informações no site oficial do Quarteto ou na sua página de facebook.

Sobre o Quarteto Contratempus

Fundado em 2008 com génese na Escola Superior de Música e Artes de Espetáculo (ESMAE), o Quarteto Contratempus é um grupo de ópera de câmara que aposta na criação 100% portuguesa – texto, composição musical e encenação