FEUP cria aplicação inovadora para combater níveis de stress na estrada

Ferramenta criada no âmbito do projeto Future Cities permite analisar consumo de combustível e níveis de stress.

SenseMyCity é o nome de uma aplicação desenvolvida para smartphones, no âmbito do projeto Future Cities, que regista o dia-a-dia dos utilizadores, permitindo avaliar situações que vão desde consumos de combustível aos níveis de stress. Criada pela equipa liderada por Ana Aguiar, do departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), a aplicação fomenta também a partilha de automóvel.

O processo é simples e exige apenas um smartphone c/ Android OS. O utilizador grava a sua rotina diária através de sensores embebidos no seu smartphone e, posteriormente, visualiza-a numa página web criada para o efeito. A recolha e análise desses dados pode levar a algumas conclusões desde o consumo de combustível por viagem, à identificação de zonas com trânsito mais lento na cidade, ou mesmo quanto aos locais ou situações que aumentam os níveis de stress dos condutores. Isto torna possível utilizar os resultados para otimizar rotas e consumos, seja através da identificação de pessoas com padrões de mobilidade semelhante (potenciando a partilha de automóvel e boleias) ou através da cartografia da inclinação das ruas da cidade de forma a sugerir rotas para bicicletas com pouca inclinação e piso liso.

A aplicação pode ainda ser usada para análise de dados agrupados de vários utilizadores (crowdsensing), possibilitando a realização de estudos longitudinais de stress profissional que podem por isso ser aplicados a bombeiros, motoristas de autocarro ou polícias. O crowdsensing também é utilizado para criar mapas de medições da cidade, como por exemplo da velocidade média doe veículos em cada rua a várias horas do dia.

Criada para ser utilizada em projetos de investigação de áreas como a Engenharia, a Psicologia e a Sociologia, a SenseMyCity está em fase piloto e o próximo projeto de utilização será com agentes da polícia, para análise do bem-estar dos profissionais. Pretende-se deste modo dar resposta a algumas problemáticas surgidas no âmbito do Future Cities, projeto liderado pelo Centro de Competências para as Cidades do Futuro da Universidade do Porto que pretende dotar a cidade do Porto de sensores e equipamentos que potenciem investigações futuras.

Todos os interessados em contribuir podem integrar o grupo do SenseMyCity. Para tal, basta inscrever-se no endereço www.futurecities.up.pt/livinglab/sensemycity.