FEUP aposta em combustíveis renováveis a partir da eletricidade

O projeto e construção da unidade piloto foi recentemente apoiado pelo COMPETE, com um financiamento de 350 mil euros (foto: D.R.)

Liderado pela empresa ACR Energia e co-promovido pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), pelo Instituto de Soldadura e Qualidade (ISQ), pela GSyF – Equipamentos para Energia e pelo Laboratório Nacional de Energia e Geologia (LNEG), o projeto “Sym – Produção de Metanol por eletrólise de água, usando elétrodos de grafite” pretende ser uma alternativa ou complemento de mobilidade à sociedade, tendo em conta os critérios atuais de desenvolvimento sustentável.

Com o objetivo de produzir Metanol da Eletrólise da Água pela utilização de Elétrodos de Grafite, a equipa do projeto Sym tem concentrado esforços no desenvolvimento de uma tecnologia de armazenamento de energia elétrica através da produção de Gás de Síntese, matéria-prima para produção de combustíveis líquidos sintéticos, usando plataformas motorizáveis existentes. Esta tecnologia é uma solução de apoio à gestão otimizada de redes elétricas com forte penetração de fontes renováveis de baixa e alta tensão e tem aplicação na eletrificação de locais isolados, sem acesso à rede, como em locais rurais. Para demonstrar a viabilidade técnica e económica desta tecnologia, vai ser construída uma unidade piloto de pequena potência (1 kW). O consórcio está ainda a desenvolver um novo reator para produção de combustível sintético renovável a partir da eletricidade (Electrofuel®).

Tendo por base uma patente nacional para a produção de Gás de Síntese a partir de eletricidade através de uma eletrólise alcalina da água utilizando elétrodos de carbono, o projeto e construção da unidade piloto foi recentemente apoiado pelo COMPETE, com um financiamento de 350 mil euros.

Na FEUP, os principais envolvidos no projeto são os professores Adélio Mendes, Clito Afonso, Óscar Mota e ainda a investigadora Marta Boaventura. O projeto Sym pode vir a revolucionar o mercado, ao prometer introduzir uma tecnologia que vai dinamizar o atual setor energético, contribuindo de forma decisiva para a redução progressiva do recurso aos combustíveis fósseis e para uma utilização otimizada de recursos energéticos renováveis.