Fernando Távora recordado em Mapa de Arquitectura

Fernando TávoraA Secção Regional do Norte da Ordem dos Arquitectos, a Câmara Municipal do Porto e a Fundação Marques da Silva (FIMS) lançam esta segunda-feira, 14 de março, um novo Mapa de Arquitectura, desta vez dedicado a Fernando Távora, uma das maiores figuras  da arquitetura portuguesa contemporânea e histórico professor da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), que ajudou a fundar.

Este mapa – o quinto a ser lançado depois de Arménio Losa, José Marques da Silva, Souto de Moura e Álvaro Siza – apresenta um conjunto de 48 obras de Fernando Távora, construídas entre 1952 e 2004, localizadas na zona Norte do país. Editado em português/inglês e espanhol/francês, o Mapa de Arquitectura Fernando Távora conta com uma tiragem de 4.000 exemplares e estará disponível na secretaria da OASRN, na Fundação Marques da Silva e nos postos de Turismo do Município.

O lançamento do novo Mapa de Arquitectura dedicado a Fernando Távora terá lugar a partir das 18h30, na Casa-Atelier José Marques da Silva e contará com a presença dos arquitetos Carlos Martins, ex-colaborador de Fernando Távora, e de Jorge Figueira, autor de vários textos publicados sobre o trabalho de Távora. A Presidente do Conselho Diretivo Regional Norte da Ordem dos Arquitectos, Cláudia Costa Santos, o Vereador do pelouro do Comércio e Turismo, Manuel Aranha, e a Presidente do Conselho de Administração da FIMS e Vice-Reitora da U.Porto para a Cultura, Maria de Fátima Marinho ,também estarão no lançamento.

A entrada livre é, ainda que sujeita à lotação do espaço.

Mais informações aqui.

Sobre Fernando Távora

Nome maior na afirmação do Porto enquanto escola de referência no ensino da Arquitetura em Portugal, Fernando Távora (1923 – 2005) notabilizou-se como estudante da Escola de Belas-Artes do Porto – escola fundadora das atuais faculdades de Arquitetura e Belas Artes da U.Porto –, pela qual se diplomou em 1952, com 19 valores. Começava também aí um percurso impar como docente universitário, intimamente ligado à Escola Superior de Belas Artes do Porto (ESBAP), onde começou a lecionar; e à  FAUP, que ajudou a criar (foi Presidente da sua Comissão Instaladora). Numa fase posterior, esteve também envolvido na criação e instalação do Departamento de Arquitectura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra e do curso de Arquitectura da Universidade do Minho.

Portuense de gema, arquiteto do mundo,  Fernando Távora destacou-se pela visão inovadora que procurou afirmar da arquitetura, refletida num forte sentido de responsabilidade social e na importância atribuída ao programa e à funcionalidade da obra. Foi, de resto, essa escola, que viria a “contagiar” Siza Vieira, Souto Moura, entre outros dos seus discípulos, que imprimiu numa obra arquitetónica da qual o Mercado Municipal de Santa Maria da Feira (1953-59), a Casa de Férias no Pinhal de Ofir, em Fão (1957-1958), a reabilitação do Centro Histórico de Guimarães (1985-1992), a ampliação das instalações da Assembleia da República, em Lisboa (1994-1999) ou o restauro do Palácio do Freixo, no Porto (1996-2003) são exemplos paradigmáticos.

Em 2013, Fernando Távora foi homenageado pela Universidade do Porto, que o escolheu como Figura Eminente da U.Porto 2013.