Fernando Sollari Allegro: “Um exemplo de vida que perdurará”

Sollari Allegro liderou os destinos do Hospital de Santo António / CHP durante 14 anos. (Foto: DR)

“Uma imensa perda para a Universidade do Porto, para a cidade e para o país”. É assim que Sebastião Feyo de Azevedo, Reitor da Universidade do Porto, avalia a morte de Fernando Sollari Allegro, professor do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) e antigo presidente do Conselho de Administração do Hospital de Santo António/Centro Hospitalar do Porto, falecido no passado dia 7 de novembro, aos 69 anos, vítima de cancro.

Nascido em Moçambique em 1947 e formado em Medicina na Faculdade de Teresópolis (Brasil), foi no Porto que Sollari Allegro construiu uma carreira de mais de 30 anos como médico gastroenterologista, professor universitário e gestor hospitalar de reconhecida competência. Presidente do Conselho de Administração do Hospital de Santo António entre 2002 e 2009, foi um dos principais mentores do Centro Hospitalar do Porto (CHP), unidade hospitalar criada em 2007 – após a fusão dos serviços do HSA com o Hospital Pediátrico Maria Pia e a Maternidade Júlio Dinis – e que liderou entre 2011 e setembro de 2016.

Foi também na condição de gestor hospitalar que Fernando Sollari Allegro estreitou a colaboração entre o Hospital de Santo António/Centro Hospitalar do Porto e o ICBAS [onde dava aulas como professor associado convidado], com resultados notáveis para a formação de novos médicos, para a investigação nas ciências da vida e da saúde e para a melhoria da assistência médica à população. Dessa colaboração resultaria a transformação – formalizada já este ano – do CHP em Centro Hospitalar Universitário.

“O professor Fernando Sollari Allegro era especialmente sensível à importância dos hospitais universitários, enquanto espaços privilegiados de desenvolvimento da medicina nas suas vertentes terapêutica e científica. Por isso trabalhou convictamente para que a parceria entre o Centro Hospitalar do Porto e o ICBAS fosse reforçada e otimizada, sendo ele próprio, enquanto docente, um exemplo das sinergias possíveis entre as duas instituições”, aponta Sebastião Feyo de Azevedo.

Para o Reitor da U.Porto, Sollari Allegro deixa como principal legado a sua “capacidade de gestão, experiência médica e consciência cívica, qualidades que motivavam a mais profunda admiração e estima daqueles que o conheciam e com ele privavam, memória de exemplo de vida que perdurará”. Elogios partilhados pela Associação de Estudantes do ICBAS (AEICBAS) que, numa nota publicada no Facebook, expressou o agradecimento a “uma pessoa que dedicou a sua vida ao atual Centro Hospitalar Universitário do Porto e ao ensino de futuros médicos de excelência”.

Do ICBAS veio também um voto de pesar público assinado pelo Diretor do instituto. Segundo António Sousa Pereira, “o Prof. Dr. Sollari Allegro foi um dos grandes responsáveis pela dinamização do Ciclo Clinico do Curso de MIM da nossa instituição”, pelo que “a sua ausência será sinceramente sentida pela Direção do ICBAS”.

Condecorado, em abril de 2010, com a medalha de Serviços Distintos Grau Ouro do Ministério da Saúde, Sollari  Allegro foi alvo, em setembro passado, de uma homenagem prestada pelo Centro Hospitalar do Porto, que incluiu o descerramento de um busto do médico na entrada principal do Hospital de Santo António.

O funeral de Fernando Sollari Allegro realiza-se esta quinta-feira, pelas 15h00, na Igreja de Nossa Senhora da Boavista, ao Foco.