FCUP organiza encerramento do Ano Internacional da Luz

luxmirabilis

A exposição Lux Mirabilis, patente no Museu Nacional Soares dos Reis, foi uma das principais contribuições da U.Porto para as comemorações do Ano Internacional da Luz.

No dia 21 de junho, a cidade do Porto será o palco da sessão de encerramento oficial das comemorações nacionais do Ano Internacional da Luz e das Tecnologias baseadas em Luz, organizada conjuntamente pela Faculdade de Ciências da U.Porto (FCUP) e a Comissão Nacional do Ano Internacional da Luz.

A sessão terá lugar na Casa da Música, a partir das 17 horas, tendo como protagonista Sir Michael Berry, Professor Emérito da Universidade de Bristol (Reino Unido). O físico-matemático que deu nome à Fase de Berry – um fenómeno observado em mecânica quântica e ótica – irá proferir uma conferência que tem por título Making Light of Mathematics.

Com entrada livre para todo o público (sujeito ao limite da lotação da sala), a palestra não será técnica mas antes uma apresentação bastante visual de muitos “fenómenos matemáticos” que têm aplicação – e por vezes espetaculares manifestações visuais – na Física da Luz. Desta forma, ficará notório que conceitos matemáticos como Fractais, Teoria da Catástrofe, Nós, Infinito, Zero e até “1 + 1 nem sempre é igual a 2”, são necessários para entender o arco-íris, a cintilação da luz das estrelas, a espuma do mar, os espelhos mágicos orientais ou simples observações da Luz como a interferência, a polarização ou a focagem.

Os interessados em assistir a conferência, apenas necessitam de levantar o respetivo bilhete na bilheteira da Casa da Música no dia do evento. Após a conferência, pelas 19h30, e ainda no âmbito da Sessão de Encerramento do Ano Internacional da Luz, a Sala Suggia será o palco do concerto Grandes Solistas, pelo Remix Ensemble Casa da Música, cujos bilhetes estão já disponíveis para compra.

Anunciado em 2013, na 68.ª Sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, o “Ano Internacional da Luz e das Tecnologias baseadas em Luz” é uma iniciativa mundial que teve como objetivo salientar a importância da luz no quotidiano, em domínios tão alargados como a energia, a educação, a agricultura, a comunicação e a saúde, sensibilizando o púbico para o papel da luz e das tecnologias óticas no desenvolvimento sustentável da sociedade.

A iniciativa foi comemorada por todo o mundo entre 2015 e 2016, num movimento que juntou a UNESCO com um grande número de organismos científicos. Entre eles incluem-se instituições de ensino como a Universidade do Porto, mas também sociedades e associações científicas, instituições de ensino, plataformas de tecnologia, organizações sem fins lucrativos e parceiros do setor privado.