Faculdade de Belas Artes recebe a artista sul-coreana Haegue Yang

Haegue Yang

Haegue Yang vai trabalhar com estudantes de três universidades – U.-Porto Incluída – no desenvolvimento de uma peça, a inaugurar em junho, em Serralves. (Foto: DR)

No próximo dia 24 de fevereiro, às 18h00, a aula magna da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (FBAUP) vai apresentar uma conferência da artista sul-coreana Haegue Yang. Trata-se de um evento inserido num projeto da Fundação de Serralves que tem por objetivo principal promover a cultura e aproximar a arte da comunidade.

Para além desta conversa, e porque para Haegue Yang o contexto e o local são aspetos fundamentais para o processo criativo, a artista irá também trabalhar com estudantes de três universidades, no desenvolvimento de uma nova peça, com inauguração prevista para junho deste ano no Parque de Serralves. Da Universidade do Porto irá colaborar neste trabalho Nuno Pimenta, estudante da FBAUP.

Em comunicado, a diretora do Museu de Arte Contemporânea de Serralves, Suzanne Cotter, afirmou que a “instalação do seu trabalho no parque de Serralves vai trazer ao público uma nova luz sobre a forma como 21os artistas podem intervir sobre os ambientes quotidianos”. De acordo com o mesmo comunicado, a linguagem escultural da artista “inclui objetos e materiais presentes nas casas e no quotidiano” que criam “ambientes flutuantes e instalações povoadas por figuras totémicas, frequentemente concebidas como coreografias de movimento nas quais a escultura e o espectador são participantes ativos”.

No currículo, Haegue Yang apresenta alguns trabalhos de grande dimensão, como o que desenvolveu para o pavilhão coreano da 53.ª Bienal de Veneza em 2009, para o Kunsthaus Bregenz, na Áustria, e para o Museu de Arte Samsung, Leeum, Seul. Há ainda instalações de Yang que se caracterizam por proporcionar experiências sensoriais (tato, audição, paladar e visão) que evocam estados de impermanência e mobilidade. Este projeto Sonae/Serralves, único do género em Portugal, dará a conhecer pela primeira vez ao público nacional a obra desta artista, cujo trabalho é reconhecido internacionalmente.

A conferência é aberta ao público.