FAUP entre as ‘leading schools’ mundiais em Arquitetura

Seleção das escolas teve em conta a qualidade da graduação, a empregabilidade e o sucesso de antigos estudantes, o corpo docente e a sua reputação.

A Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto (FAUP) está entre as 29 escolas de arquitetura mencionadas na edição 2014 do “Masterclass: Architecture’: Guide to the World’s Leading Graduate Schools”, uma publicação internacional que distingue as melhores escolas de pós-graduação de todo o mundo que oferecem o grau de mestre em arquitetura.

Destinado a estudantes de licenciatura/1º ciclo, recém-formados e profissionais que procuram uma especialização, este guia internacional faculta uma visão geral e aprofundada das escolas distinguidas. Estas foram selecionadas com base numa lista de critérios que incluem a qualidade da graduação, a empregabilidade e o sucesso de antigos estudantes, o corpo docente e a sua reputação no campo da arquitectura.

Ao longo do guia, cada escola é caracterizada extensivamente em 10 páginas contendo informações úteis, tais como a descrição do plano de estudos, programa, requisitos de admissão, a demografia dos estudantes, listas de alumni, propinas, bolsas de estudo e contactos.

Os artigos oferecem ainda uma visão real da vida de cada uma das escolas e da sua contextualização. Para tal, o perfil de cada escola abre com uma introdução do director do curso, seguido por exemplos de trabalhos dos estudantes, uma entrevista com um antigo estudante bem sucedido, informações sobre a localização da escola e alojamentos próximos, transportes e ambiente cultural do ponto de vista de um estudante, entre outras informações.

Sobre a FAUP

Criada em 1976, a partir do legado da Escola de Belas Artes do Porto (ESBAP), a FAUP é uma das mais reputadas instituições portuguesas ao nível do ensino da Arquitetura. Ali formaram-se e deram aulas nomes importantes da “Escola do Porto” (uma das mais influentes correntes de Arquitetura portuguesa do século XX), casos de Álvaro Siza Vieira e Eduardo Souto Moura, os dois únicos arquitetos portugueses distinguidos com o Prémio Pritzker, considerado o “Prémio Nobel” da Arquitetura.

  • Pedro Campea

    «a partir do legado da Escola de Belas Artes da U.Porto (ESBAP)»?!
    A ESBAP era “Escola Superior de Belas Artes do Porto”, até porque ainda nem sequer pertencia à U.Porto.