FAUP e FIMS unem-se em homenagem ao Arquiteto José Carlos Loureiro

O 90º aniversário do Arquitecto José Carlos Loureiro é assinalado com um programa de homenagem comissariado pelo Arquitecto Alexandre Alves Costa e que inclui uma mesa redonda, exposição e o lançamento de uma brochura.

Autor de uma obra extensa e diversificada, José Carlos Loureiro licenciou-se pela Escola de Belas Artes do Porto, predecessora das faculdades de Arquitetura e de Belas Artes da U.Porto. (Foto: Juan Rodiguez)

Por ocasião dos 90 anos do arquiteto José Carlos Loureiro, a Fundação Marques da Silva (FIMS), entidade à qual doou o seu acervo profissional, e a Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto (FAUP), lugar de formação e de prática pedagógica, promovem, a no próximo dia 2 de dezembro, um programa de homenagem àquele que é uma das mais destacadas figuras no panorama arquitetónico português dos últimos 60 anos.

O evento  arranca às 18h00, no Auditório Fernando Távora, com uma mesa redonda moderada pelo comissário da iniciativa e professor da FAUP, Alexandre Alves Costa. Aberta ao público, esta sessão contará com intervenções dos arquitetos Álvaro Siza, Ana Tostões e Nuno Brandão Costa.

O Edifício Parnaso, projectado pelo arquitecto José Carlos Loureiro e classificado como monumento de interesse público, é uma das três obras em exposição na FAUP.

O Edifício Parnaso, projetado por José Carlos Loureiro e classificado como monumento de interesse público, é uma das três obras que vão estar em exposição na FAUP. (Foto: DR)

Seguir-se-á, pelas 19h30, na Galeria da FAUP, a abertura da exposição, um espaço evocatório projetado por Luís Pinheiro Loureiro e Nuno Brandão Costa, que apresenta três obras singulares de José Carlos Loureiro: a moradia do arquitecto (1949/50), o Edifício Parnaso (1955) e a Torre Hotel D. Henrique (1966). A exposição manter-se-á patente ao público até finais de janeiro de 2016, podendo ser visitada de segunda a sexta-feira, entre as 9h00 e as 19h00.

A iniciativa, que conta com o apoio institucional da Câmara Municipal do Porto e da Secção Regional Norte da Ordem dos Arquitectos, e o patrocínio da OTIMAH!, contempla ainda o lançamento de uma brochura com introdução de Alexandre Alves Costa, textos de Carlos Machado, Jorge Figueira e Nuno Grande, relativos a cada um dos projetos sinalizados, e produção gráfica da A.MAG.

Sobre José Carlos Loureiro

Decano da arquitetura portuguesa, José Carlos Loureiro nasceu na Covilhã, em 1926, e licenciou-se pela Escola de Belas Artes do Porto (predecessora da FAUP e da Faculdade de Belas Artes da U.Porto) em 1950, ano em que inicia a atividade profissional como arquiteto e docente. Em 1972 abandona o ensino para se dedicar a tempo inteiro ao exercício da Arquitetura, tendo criado quatro anos mais tarde o Galp, Lda. (Gabinete de Urbanismo, Arquitectura e Engenharia, Lda.) com o colega Pádua Ramos, que com ele colaborava desde 1955.

Associou-se a diversos congressos e colóquios de Arquitectura e Urbanismo, realizou viagens de estudo e investigou, em particular, sobre “A Casa do Brasileiro”. Desde os anos 50 que participa em diversas exposições, tendo sido premiado nalgumas delas.

A convite da FAUP, José Carlos Loureiro foi arguente no concurso para Professor Associado de Alcino Soutinho. É autor de uma obra extensa e diversificada, com especial incidência no Porto, onde se destacam, entre muitas outras, a moradia do arquiteto (1949/50), o Edifício Parnaso (1955) e a Torre Hotel D. Henrique (1966).