Faleceu Mário Soares, Doutor Honoris Causa da Universidade do Porto

Mário Soares, Doutor Honoris Causa da Universidade do Porto, foi também Padrinho no Doutoramento de Luís Portela.

Agraciado pela Universidade do Porto com o título de Doutor Honoris Causa em 1990, Mário Soares faleceu aos 92 anos de idade, a 7 de janeiro de 2017.

A Universidade do Porto foi mesmo a primeira instituição nacional a distinguir Mário Soares com um Doutoramento Honoris Causa, realizado sob proposta da Faculdade de Letras, em 19 de junho de 1990, quando cumpria ainda o seu primeiro mandato como Presidente da República Portuguesa.

A U.Porto seria, no entanto, apenas uma das 36 universidades de todo o mundo a conceder-lhe esta distinção, facto que atesta do prestígio internacional que o antigo Presidente da República conseguiu reunir ao longo de toda a sua vida e é um reconhecimento da sua dedicação à difusão da Cultura, das Artes e do Conhecimento.

Reconhecido como um dos pais da democracia portuguesa, Mário Soares é considerado uma das figuras maiores do século XX português, deixando um legado único na defesa pela liberdade, pela promoção dos valores da Europa social e pelos Direitos Humanos.

Um legado que, na opinião do Reitor da Universidade do Porto, «garante [a Mário Soares] um lugar no panteão dos heróis nacionais». Sebastião Feyo de Azevedo fez questão de prestar homenagem pública ao Doutor Honoris Causa da U.Porto, destacando o seu exemplo de coragem na luta pela democracia.

«Estes valores foram particularmente notórios na sua abnegada oposição à ditadura do Estado Novo, que o conduziu à prisão e ao exílio, na sua liderança decisiva na consolidação da democracia plural em Portugal no período de 1974-1975 e no seu contributo decisivo na abertura do país à Europa e ao mundo com a adesão de Portugal à então Comunidade Económica Europeia em 1985.», salientou o Reitor da Universidade do Porto.

Nascido a 7 de dezembro de 1924, em Lisboa, Mário Alberto Nobre Lopes Soares foi fundador e primeiro líder do Partido Socialista, tendo desempenhado os mais altos cargos públicos do país: Deputado, Ministro, Primeiro-Ministro e Presidente da República.

Foi autor de diversos ensaios e obras de teoria política e professor catedrático convidado da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra (1996-1998) e da Universidade Lusófona (2001-2002). É membro honorário da Academia das Ciências de Lisboa, da Sociedade Portuguesa de Autores, da Sociedade Portuguesa de Escritores, presidente do Conselho de Patronos da Fundação Arpad Szennes/Vieira da Silva e membro do júri do Prémio Pessoa.