Faculdade de Medicina desenvolve estudo pioneiro sobre cancro do útero

José Manuel Lopes, Cátia Silva e Carla Bartosch, autores do estudo. (Foto: FMUP)

Um estudo pioneiro sobre o cancro do útero – um dos mais frequentes entre as mulheres portuguesas – desenvolvido por investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) mereceu, recentemente, honras de destaque na capa do International Journal of Gynecological Pathology, uma das revistas científicas mais reputadas na área.

“Ao contrário de outras pesquisas, este estudo recorreu a um elevado número de amostras de cada tumor e usou medidas quantitativas, que permitiram analisar de forma transversal cada cancro. Fizemos uma análise profunda, muito mais detalhada que outros estudos até à data. Conseguimos perceber que cada tumor é constituído por células de características semelhantes, ou seja: a diversidade dentro de cada tumor é reduzida”, explicam os investigadores responsáveis pela estudo.

“É importante avaliar a diversidade de cada tumor para adequar o tratamento a cada doente. Neste momento, não existem medidas objetivas de avaliação desta diversidade, este trabalho demonstra um novo método”, acrescentam,

Cátia Silva desenvolveu a investigação no âmbito do mestrado em Medicina e Oncologia Molecular da FMUP. (Foto: FMUP)

“Dando continuidade a esta investigação, acreditamos que será possível conhecer melhor a patologia e, assim, melhorar a assistência prestada a cada mulher”, explica Cátia Silva, primeira autora do estudo. “Este é o primeiro passo para responder a uma série de questões relativamente à natureza deste tipo especifico de cancro e, por isso, consideramos que a investigação deve continuar”, acrescenta.

O estudo, desenvolvido no âmbito do mestrado em Medicina e Oncologia Molecular da FMUP, pela investigadora Cátia Silva e coordenado por Carla Bartosch e José Manuel Lopes, contou com a colaboração do Centro Hospitalar São João, do IPO-Porto, do ICBAS e do IPATIMUP/i3S.