Faculdade de Engenharia reforça laços com Moçambique

A 7ª edição do Congresso decorreu, pela primeira vez, na cidade de Inhambane (foto: D.R.)

Aprofundar as relações de cooperação com Moçambique em diversas atividades de engenharia, nomeadamente na área do Ensino. Foi esse o mote do 7º Congresso Luso-Moçambicano de Engenharia (CLME), evento que teve lugar no passado mês de abril, em Moçambique (cidade de Inhambane), fruto de uma organização conjunta da  Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), da Faculdade de Engenharia da Universidade Eduardo Mondlane (FEUEM), da Ordem dos Engenheiros de Portugal e da Ordem dos Engenheiros de Moçambique.

Desde a primeira edição, em 1999, o CLME contou com uma forte participação da FEUP, protagonizada pelos docentes do Departamento de Engenharia Mecânica Joaquim Silva Gomes, Carlos António e Clito Afonso. Em 2014, os cinco dias de congresso da 7.ª edição trouxeram uma novidade em termos de modelo: em vez das tradicionais sessões paralelas de apresentações orais, houve um conjunto de 12 painéis sobre temas estratégicos, complementados com apresentações em posters e agrupadas em grupos temáticos. Os painéis constituíram uma excelente oportunidade de discussão e networking entre engenheiros portugueses, moçambicanos e de outros países representados entre os mais de 200 inscritos no congresso.

As sucessivas edições do CLME comprovam a importância estratégica deste tipo de iniciativas. Para além de constituírem um fórum de discussão entre engenheiros e académicos de diferentes países, permitem ainda um intercâmbio de estudantes e docentes de engenharia entre a Universidade Eduardo Mondlane e as universidades portuguesas, em particular, a U.Porto. Têm nascido iniciativas profissionais e empresariais de portugueses em Moçambique após o congresso, beneficiando e contribuindo para o crescimento económico em Moçambique que, na última década, tem atingido uma taxa média anual de 8%.

Joaquim Silva Gomes relembra que “o entusiasmo dos profissionais e empresas portuguesas para alargarem as suas atividades em Moçambique ficou bem patente num seminário organizado em outubro de 2012, na FEUP, que sob o tema ‘Novas oportunidades de cooperação, negócios e investimentos em Moçambique’, atraiu mais de duzentos participantes de norte a sul do País”.

Mais informações aqui.