Faculdade de Belas Artes reabre Pavilhão de Exposições à cidade

Escultura FBAUP

Espaço vai permitir divulgar o trabalho dos estudantes da FBAUP mas também o acervo do Museu da Faculdade.

Mais de 60 anos após ter aberto as portas pela primeira vez, o reabilitado Pavilhão de Exposições da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto vai reabrir no próximo dia 18 de maio (Dia Internacional dos Museus) com imagem renovada e um propósito assumido: “voltar a ser um lugar aberto à cidade” e um espaço de descoberta dos novos talentos saídos da escola que “deu” ao mundo nomes como os de Ângelo de Sousa, Nadir Afonso, Júlio Resende ou José Rodrigues.

Localizado no coração do conjunto de edifícios e jardim da FBAUP (Avenida Rodrigues de Freitas, 265), classificado Monumento de Interesse Público em 2013, aquele que nunca deixou de ser o Pavilhão de Exposições da faculdade, apesar de ter funcionado como espaço de aulas durante grande parte da sua existência, prepara-se assim para retomar a sua função original de espaço expositivo, fruto de um trabalho de reabilitação iniciado em 2014 e liderado pelos arquitetos Carlos Guimarães (diretor da Faculdade de Arquitetura da U.Porto desde 2010) e Luís Soares Carneiro.

Procurando manter o traçado moderno e funcional do edifício, o projeto (de 2007) orçado em 400 mil euros – co-financiados pelo ON.2 – O Novo Norte, através do FEDER – Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional – recupera as potencialidades de um espaço projetado num único piso com cerca de 280 m2 de superfície e 4,50 m de altura. Entre as características principais da sala destacam-se a luz natural proveniente da ampla janela na parede norte e a cobertura envidraçada ao longo de toda a galeria, controlada por um sistema de lâminas ajustáveis.

Segundo o diretor da FBAUP, José Carlos de Paiva, a intervenção “ajusta o Pavilhão  às necessidades e expectativas atuais, introduzindo melhores condições de conforto, segurança e controlo ambiental, respeitando e repondo, no entanto, as singulares características do espaço expositivo original”.

Pavilhão de Exposições da FBAUP

A luz natural e a cobertura envidraçada são dois dos traços distintivos da “nova” sala de exposições da FBAUP.

Desejado desde a fundação da Academia de Belas Artes, em 1836, o Pavilhão e Exposições foi inaugurado em 1954, resultado de um projeto do arquiteto Manuel Lima Fernandes de Sá (1903–80) e integrado num conjunto de novos edifícios que incluía também o Pavilhão de Arquitetura. Apesar de ter sido concebido como sala de exposições, o espaço acabaria, contudo, por ser dividido em salas de aulas, fruto das necessidades impostas pelo aumento do número de estudantes e pela diversificação das áreas de formação artística da então Escola Superior de Belas Artes do Porto.

É essa vocação original que o edifício retoma agora, afirmando-se como “lugar de apresentação do acervo do Museu, do trabalho dos estudantes da FBAUP, enfim, de produção artística propiciadora de construção de pensamento e debate crítico”. Mas mais do que isso, “voltará a ser um lugar aberto à cidade, de afirmação de identidade, de questionamento do presente e de imaginação de futuros”, reivindica José Carlos de Paiva.

A cerimónia de inauguração do Pavilhão tem início às 15h00 e vai contar com a presença do diretor da FBAUP e do Reitor da Universidade do Porto, Sebastião Feyo de Azevedo. O momento será ainda assinalado com a inauguração da exposição 520 HORAS, composta por obras do acervo do Museu da FBAUP.