Faculdade de Arquitectura em obras de reabilitação

O complexo de edifícios da FAUP, construídos entre 1985 e 1993, é da autoria de Álvaro Siza, Professor Catedrático Jubilado da Escola (c) Egídio Santos / Universidade do Porto

O complexo de edifícios da FAUP, construídos entre 1985 e 1993, é da autoria de Álvaro Siza, Professor Catedrático Jubilado da Escola. (Foto: Egídio Santos / U.Porto)

O edifício da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), projeto da autoria do arquiteto Álvaro Siza (Prémio Pritzker 1992), será alvo de uma empreitada de reabilitação que tem por objetivo repor, no conjunto dos edifícios, as suas condições originais, passados vinte e três anos da data da sua inauguração.

Trata-se de uma intervenção na envolvente exterior dos edifícios – coberturas e paredes exteriores – com diferentes graus de profundidade, definidos em função do nível de desgaste provocado pela ação do tempo e das patologias entretanto identificadas e diagnosticadas.

Adjudicada através de Concurso Público à empresa DAPE Lda., a obra teve início a 18 de maio e tem um prazo de execução previsto de oito meses.

De modo a minorar as repercussões sobre o normal funcionamento da Escola, foi definido um faseamento dos trabalhos. A FAUP conta com a compreensão e colaboração de toda a comunidade académica durante o período de obras.

Sobre o edifício da FAUP

A FAUP foi criada em 1979 e teve as suas primeiras instalações na Avenida Rodrigues de Freitas. Em finais de 1984, passou a ocupar a “Casa do Gólgota” localizada no Pólo III da U.Porto (Campo Alegre), cujo projeto de recuperação da moradia de princípios do século XX foi entregue ao Arquiteto Álvaro Siza. Em setembro de 1986 foi celebrado um contrato para a elaboração do Projeto de Construção da Faculdade de Arquitectura, adjudicado ao mesmo arquiteto. O campus da FAUP, projetado e construído entre 1986 e 1993, contempla duas alas de construção – que convergem a poente, na entrada principal – numa área total de cerca de 9.600 m2. Limitada a norte e a sul pelas vias de saída da Ponte da Arrábida e via Panorâmica – o complexo de edifícios compreende ainda a “Casa do Gólgota”, que acolhe atualmente o Centro de Estudos de Arquitectura e Urbanismo (CEAU), e o Pavilhão Carlos Ramos, localizado nos jardins da Casa.

Mais informações em www.fa.up.pt